Pequena grande descoberta

No último mês, um grupo de cientistas brasileiros apresentou à sociedade um novo lagarto da Floresta Amazônica, diferente de todos os outros conhecidos até agora. Tão diferente que faz parte não apenas de uma nova espécie, mas também de um novo gênero. Uma descoberta e tanto!

O novo lagartinho foi descoberto nas florestas do município de Iranduba, próximo a Manaus, no estado do Amazonas, e mede (sem contar a cauda) pouco mais de cinco centímetros de comprimento (foto: Vinícius T. Carvalho).

O novo lagarto ganhou o nome científico de Marinussaurus curupira. Mas por que será? Se você achou que o nome do gênero tem alguma relação com o mar, errou feio. Na verdade, seu significado é “lagarto do Marinus”. Trata-se de uma homenagem ao holandês Marinus Hoogmoed, que mora em Belém do Pará há muitos anos, e é um dos maiores especialistas no mundo sobre os anfíbios e répteis da Amazônia. O Dr. Marinus já realizou diversas pesquisas na região amazônica e ajudou muitos alunos a também se tornarem cientistas.

A palavra saurus significa “lagarto” em grego, e é muito comum nos nomes científicos desses animais. É também muito usada para nomear gêneros de um grupo de répteis já extintos: os dinossauros (“lagartos terríveis” em grego). Só que, apesar do nome, os dinossauros não eram lagartos!

Protetor das florestas

Segundo as lendas indígenas amazônicas, existe uma criatura que protege as florestas e seus animais contra aqueles que caçam por prazer e fazem mal às matas e seus habitantes. Este é o Curupira, um ser com corpo de menino e pés virados pra trás. Por meio de encantamentos e ilusões, o Curupira confunde o invasor e o deixa perdido na floresta. O nome específico do novo lagartinho, curupira, faz referência a essa figura tão importante do folclore amazônico.

O Curupira é um dos representantes mais conhecidos do folclore amazônico. Seu nome tem origem tupi-guarani e significa “aquele que tem corpo de menino” (ilustração: Wikipédia).

Grande diversidade
O Marinussaurus curupira já é a oitava nova espécie de réptil descoberta no Brasil neste ano. Isso, mesmo! Só em 2011, cientistas já batizaram oito novas espécies de répteis brasileiros, incluindo lagartos e serpentes. Nos últimos dez anos, foram 84 novas descobertas. Não é à toa que o Brasil é o segundo país do mundo quando se fala em diversidade de répteis (lagartos, cobras, tartarugas e jacarés): já são mais de 730 espécies conhecidas, ficando atrás apenas da Austrália, com mais de 800. Mas no ritmo atual, com muitas novas espécies sendo descobertas todos os anos no Brasil, quem sabe em breve o nosso país ganhe mais um título, o de dono da maior diversidade de répteis? Estamos na torcida!

A palavra lagarto provavelmente se originou a partir de uma alteração de lacertus, que significa “lagarto” em latim. Lacertus teria virado lacartus, que teria dado origem a lagarto.

 

 

Matéria publicada em 10.06.2011

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Henrique Caldeira Costa

Curioso desde criança, Henrique tem um interesse especial em pesquisar a história por trás dos nomes científicos dos animais, que partilha com a gente na coluna O nome dos bichos

CONTEÚDO RELACIONADO

Parque Nacional de Itatiaia

A primeira área de preservação ambiental do Brasil

Pequenos notáveis

Conheça os peixes criptobênticos!

Open chat