Galopando pelos mares

Vem aí o Dia dos Pais. Por isso, vou contar a você o significado dos nomes de um bicho diferente, cujo macho, e não a fêmea, é quem engravida. Dá pra acreditar?!

Pois não é mentira, não! Estou falando dos cavalos-marinhos: pequenos peixes que habitam os oceanos.

Espécie mais comum no Brasil, o cavalo-marinho-de-focinho-longo vive em regiões de estuário: ou seja, onde os rios encontram o mar, de norte ao sul do país (foto: Felicia McCaulley).

Hoje, os cientistas conhecem pouco mais de 50 espécies no mundo, e, em todas elas, é o macho que fica grávido. Ele possui na cauda uma bolsa, onde carrega os filhotes até seu nascimento. Um papai que você nunca viu igual!

No Brasil, há até o momento apenas duas espécies de cavalos-marinhos oficialmente registradas: Hippocampus reidi (cavalo-marinho-de-focinho-longo) e Hippocampus erectus (cavalo-marinho-de-focinho-curto).

O nome “cavalo-marinho” tem lá seus motivos: repare na foto que ilustra o início deste texto e me diga se esses bichos não parecem uma mistura de peixe com cavalo! Mas… Por que eles ganharam esses nomes científicos estranhos? É o que você vai descobrir agora!

Monstros marinhos
Para entender o significado do nome Hippocampus, que indica o gênero ao qual essas espécies pertencem, primeiro vamos visitar a Grécia Antiga e seus mitos!

Na antiguidade, os gregos acreditavam na existência de um tipo de monstro marinho chamado hipocampo, que tinha a metade da frente do corpo em forma de cavalo e a metade de trás em forma de peixe. Então, diga lá, não foi uma ótima ideia dar o nome deHippocampus aos animais do mundo real que parecem uma mistura de peixe com cavalo?

O hipocampo era um monstro mitológico, metade cavalo, metade peixe. Seu nome vem do grego 'hippos' (cavalo) e 'kampos' (monstro marinho). Os hipocampos puxavam a carruagem do deus dos mares, Poseidon (foto: Wikimedia Commons)

Mas e o nome específico dos cavalos-marinhos brasileiros, a segunda palavra que forma o seu nome científico? O que quer dizer?

O cavalo-marinho-de-focinho-curto vive em mar aberto e é mais difícil de ser encontrado. Aqui você vê um peixe dessa espécie que está morto, mas foi guardado pelos cientistas para ser estudado (foto: Rosana Silveira/Projeto Hippocampus).

No caso do Hippocampus reidi, é uma homenagem a Earl D. Reid, que foi pesquisador da Divisão de Peixes do Museu Nacional de História Natural dos Estados Unidos. Já no caso do Hippocampus erectus, a origem é o latim. O nome erectus significa “ereto”, “voltado para cima”, possivelmente em referência à postura ereta do cavalo-marinho enquanto nada.

Agora que você já sabe bastante sobre os nomes dos cavalos-marinhos brasileiros, aproveite o Dia dos Pais para espalhar por aí a notícia de que até mesmo nos mares há bichos que teriam motivos para comemorar essa data!

Cavalos-marinhos na internet!

Para saber mais, visite a página do Projeto Hippocampus. Ele tem sede em Ipojuca, em Pernambuco, e seus pesquisadores se dedicam a estudar os cavalos-marinhos brasileiros. Na página do projeto, você descobre como esses curiosos peixes vivem, do que se alimentam e como devem ser protegidos!

Matéria publicada em 06.08.2010

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Henrique Caldeira Costa

Curioso desde criança, Henrique tem um interesse especial em pesquisar a história por trás dos nomes científicos dos animais, que partilha com a gente na coluna O nome dos bichos

CONTEÚDO RELACIONADO

Parque Nacional de Itatiaia

A primeira área de preservação ambiental do Brasil

Pequenos notáveis

Conheça os peixes criptobênticos!