Fantástico mundo perdido

Imagine uma região com vastas florestas tropicais e savanas. Como ilhas em um oceano verde, surgem do meio das matas montanhas tão altas que estão quase sempre cobertas por nuvens. De seus paredões de pedras escorrem as mais incríveis cachoeiras. E em seus topos, planos como imensas mesas, vivem espécies de plantas e animais que não existem em nenhum outro lugar do mundo. Parece a descrição de um cenário de filme de aventura, mas é uma paisagem real!

Os tepuis são enormes montanhas planas que existem no norte da Amazônia. Quase sempre cobertos de nuvens, os tepuis têm um ar misterioso que inspirou diversas lendas e histórias de aventura. (foto: Yosemite / Wikimedia Commons / CC BY-SA 3.0)

Os tepuis são enormes montanhas planas que existem no norte da Amazônia. Quase sempre cobertos de nuvens, os tepuis têm um ar misterioso que inspirou diversas lendas e histórias de aventura. (foto: Yosemite / Wikimedia Commons / CC BY-SA 3.0)

Os tepuis, como são chamadas essas montanhas achatadas do norte da Amazônia, são fascinantes e já inspiraram muitas lendas e estórias. Os índios da região consideravam que os tepuis eram a casa dos deuses. Antes de conseguir escalar os tepuis, alguns exploradores acreditavam que seus topos poderiam esconder lendárias cidades feitas de ouro.

O monte Roraima é um tepui considerado por povos indígenas como a casa do deus-guerreiro Makunaíma. Outra lenda indígena diz que a montanha é a “mãe das águas” – os rios que correm no alto do monte formam cachoeiras enormes, que talvez tenham inspirado essa história. (foto: Adilson Moralez / Flickr / CC BY-NC-ND 2.0)

O monte Roraima é um tepui considerado por povos indígenas como a casa do deus-guerreiro Makunaíma. Outra lenda indígena diz que a montanha é a “mãe das águas” – os rios que correm no alto do monte formam cachoeiras enormes, que talvez tenham inspirado essa história. (foto: Adilson Moralez / Flickr / CC BY-NC-ND 2.0)

Certa vez, um escritor escocês – o mesmo que criou as estórias do detetive Sherlock Holmes –, ao ouvir falar dos tepuis, escreveu um livro chamado O Mundo Perdido, no qual descrevia criaturas incríveis como dinossauros e homens-macaco vivendo no alto daquelas montanhas. Mais recentemente, os tepuis inspiraram a criação do Paraíso das Cachoeiras, cenário em que se passa o filme de animação Up – Altas Aventuras.

Entre as plantas que ocorrem no Parque Nacional do Monte Roraima estão diversas plantas carnívoras, como esta da espécie <i>Drosera roraimae</i>. (foto: Gérard Vigo / Wikimedia Commons / CC BY-SA 3.0)

Entre as plantas que ocorrem no Parque Nacional do Monte Roraima estão diversas plantas carnívoras, como esta da espécie Drosera roraimae. (foto: Gérard Vigo / Wikimedia Commons / CC BY-SA 3.0)

Um dos mais altos tepuis, o monte Roraima, tem quase 3.000 metros de altitude e está localizado na divisa entre três países: Venezuela, Guiana e Brasil. Para proteger a parte brasileira desta montanha e a floresta a sua volta foi criado o Parque Nacional do Monte Roraima, no estado de Roraima. Dentro dos limites do parque está também o monte Caburaí, que é considerado o ponto mais ao norte do território brasileiro.

No alto do monte Roraima, a vegetação é dominada por arbustos, o chão é pedregoso e faz frio quase o ano todo, especialmente à noite, quando as temperaturas podem chegar perto de zero grau Celsius. Dá pra imaginar que as espécies típicas da floresta, acostumadas ao clima quente, não se dão muito bem lá em cima.

Por serem ambientes tão diferentes e isolados, o monte Roraima e os outros tepuis possuem espécies exclusivas (ou endêmicas, como os cientistas gostam de chamar) da flora e da fauna! Entre as plantas, há bromélias, orquídeas, samambaias e várias espécies de plantas carnívoras. Entre os animais endêmicos estão passarinhos, cuícas, lagartos, sapos e insetos.

O sapinho-de-roraima (<i>Oreophrynella quelchii</i>) é encontrado apenas na região do monte Roraima. Do tamanho de uma tampinha de refrigerante, ele tem uma curiosa estratégia de defesa: quando se sente ameaçado, encolhe os braços e pernas e sai rolando ladeira abaixo. (foto: Charles Besancon / Wikimedia Commons / CC BY-SA 3.0)

O sapinho-de-roraima (Oreophrynella quelchii) é encontrado apenas na região do monte Roraima. Do tamanho de uma tampinha de refrigerante, ele tem uma curiosa estratégia de defesa: quando se sente ameaçado, encolhe os braços e pernas e sai rolando ladeira abaixo. (foto: Charles Besancon / Wikimedia Commons / CC BY-SA 3.0)

A região do monte Roraima é ainda hoje muito pouco explorada. Isso leva os cientistas a acreditarem que espécies ainda desconhecidas permanecem escondidas em seus platôs. Mesmo que não abrigue cidades de ouro ou dinossauros, podemos dizer que este é verdadeiramente um mundo perdido!

Matéria publicada em 10.05.2016

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Vinícius São Pedro

Sou biólogo e, desde pequeno, apaixonado pela natureza. Um dos meus passatempos favoritos é observar animais, plantas e paisagens naturais.

CONTEÚDO RELACIONADO

Parque Nacional de Itatiaia

A primeira área de preservação ambiental do Brasil

Pequenos notáveis

Conheça os peixes criptobênticos!

Open chat