Dentes sensíveis

Tomar um sorvete ou um refresco bem geladinho no verão, esquentar-se bebendo um chocolate quentinho durante as noites frias do inverno ou ainda saborear um delicioso brigadeiro ou beijinho de coco no final da festa de aniversário do melhor amigo ou amiga são pequenos prazeres que muitas pessoas não podem desfrutar… pois sofrem de hipersensibilidade dentária.

A hipersensibilidade dentária é mais facilmente encontrada em adultos. Entretanto, se a ingestão de alimentos ou bebidas quentes, muito frias, ácidas ou doces, ou até mesmo respirar ar muito frio, faz seus dentes doerem, sinto informar: você, meu amiguinho ou amiguinha, provavelmente sofre de sensibilidade nos dentes.

Em uma pessoa com dentes saudáveis, a parte visível é recoberta pelo esmalte e a raiz fica completamente protegida pela gengiva. O problema de sensibilidade dentária ocorre quando a dentina (ver imagem ao lado) fica exposta. Isto pode acontecer quando os dentes são escovados de maneira inadequada (com muita força, com uma escova dura demais ou com um creme dental muito agressivo), o que pode expor a dentina na linha da gengiva. Pode também contribuir para o aparecimento do problema a presença de cáries, a retração da gengiva (que ocorre naturalmente durante o envelhecimento ou por causa de infecção causada principalmente devido à presença de placas dentárias e tártaros), o bruxismo (o ranger dos dentes, que pode provocar o desgaste do esmalte), quebra dos dentes, descolamento de obturações ou clareamento dentário.

A dentina possui milhões de buraquinhos microscópicos, chamados de canalículos dentinários, que ligam a superfície da dentina à polpa dentária. Estes túbulos são preenchidos de líquido e são inervados por neurônios, presentes na polpa. A dor é provocada, por exemplo, quando a dentina é exposta a líquidos muito quentes ou frios, o que resulta na expansão ou contração do fluido presente nos túbulos, que provoca excitação das fibras nervosas. Os alimentos muito doces também provocam o mesmo efeito por um fenômeno chamado osmose, que promove o deslocamento do líquido de uma região de baixa concentração de açúcar para aquela região onde a concentração de açúcar é alta.

Aberturas dos canalículos presentes na superfície da dentina observadas por microscopia eletrônica. Fonte: http://www.colgatesensitiveprorelief.com.sg/

Felizmente existem vários tipos de cremes dentais que prometem alívio imediato contra a sensibilidade dentária. E eles realmente funcionam.

Os primeiros cremes dentais com esta finalidade continham cloreto de estrôncio. Este sal se depositava na entrada dos canalículos e fechava-os, impedindo o deslocamento do líquido em seu interior, bloqueando a dor. Posteriormente, foram elaborados cremes dentais contendo nitrato de potássio, cloreto de potássio ou citrato de potássio. O potássio atua sobre os neurônios presentes nos canalículos dentinários e bloqueia sua atividade, inibindo a dor.

Atualmente, há duas novidades no tratamento da sensibilidade dentária. A primeira é a tecnologia conhecida comercialmente por Pro-Argin, que usa o aminoácido arginina em combinação com carbonato de cálcio. Estes compostos se ligam firmemente à superfície da dentina por meio de interações entre suas cargas positivas com as cargas negativas da dentina, fechando os canalículos e interrompendo a dor. A segunda tecnologia, conhecida como NovaMin, consiste de micropartículas contendo um sal de nome muito estranho: fosfossilicato de cálcio e sódio. Estas partículas se ligam a superfície exposta do dente e, em contato com a saliva, liberam íons de cálcio e fosfato, que se combinam formando hidroxiapatita – um dos constituintes natural do dente. Esta nova camada de hidroxapatita fecha a entrada dos canalículos e impede a dor.

Canalículos dentinários que ligam a superfície do dente (lado esquerdo) à polpa dentária (lado direito da figura). Alimentos ou bebidas muito quentes provocam a expansão do líquido presente nos canalículos dentinários (figura A), enquanto alimentos ou bebidas muito frios causam a contração deste líquido (figura B). A movimentação do líquido no interior do canalículo estimula receptores nervosos que penetram nos canalículos a partir da polpa, provocando dor. Fonte: http://www.perionews.com.br/

Apesar de haver novas tecnologias facilmente disponíveis para prevenir a sensibilidade dentária, procure primeiro o seu dentista. Ele irá descobrir a causa do seu problema e indicar o melhor tratamento.

Matéria publicada em 24.06.2011

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Joab Trajano Silva

Desde criança, o autor da coluna No laboratório do Sr. Q pensava em ser biólogo. Mas, enquanto cursava a faculdade, descobriu que precisava de conhecimentos químicos para entender como os seres vivos funcionam. Juntou as duas coisas e foi ser bioquímico.

CONTEÚDO RELACIONADO

Parque Nacional de Itatiaia

A primeira área de preservação ambiental do Brasil

Pequenos notáveis

Conheça os peixes criptobênticos!

Open chat