Cabeleira colorida

As festas de final de ano estão chegando e as meninas ficam logo preocupadas em se arrumar direitinho para elas. Escolhem uma roupa caprichada e, claro, pensam em como arrumar os cabelos para a ocasião! Você já pode ter visto sua mãe ou sua avó no salão de beleza pintando os fios, mas já se perguntou de que os cabelos são feitos e como eles ganham cor? A paixão das mulheres pelos cabelos pode ser difícil de entender, mas a coloração deles… a química explica!

Pessoas com cabelos diferentes

O fio de cabelo humano pode existir em diferentes cores e tonalidades, que os especialistas classificam em uma escala chamada Fischer–Saller. Segundo ela, existem sete tonalidades de loiro, três tonalidades de loiro escuro, 12 tonalidades de castanho claro, uma tonalidade de castanho escuro, duas tonalidades de preto e seis tonalidades de vermelho (Foto: Wikimedia Commons)

Cada fio de cabelo é formado por milhares de células mortas, firmemente unidas umas às outras. Fios de cabelo longos e mais grossos possuem três partes – para ficar mais fácil de entender, imagine três canudos de espessuras diferentes, um dentro do outro. O canudo mais grosso, que fica por fora, representa a cutícula, parte mais externa do cabelo. O segundo, que fica no meio, é o córtex e o terceiro, a medula.

rinoceronte

As células mortas que formam os cabelos possuem, em seu interior, uma proteína chamada queratina. Curiosamente, as queratinas também estão presentes nas unhas, nos chifres e nos pelos dos animais, na seda e na teia de aranhas (Foto: William Scot / Wikimedia Commons)

A cutícula é fina e sem cor, composta por células achatadas que formam uma cobertura microscópica de camadas sobrepostas – como as escamas de um peixe. Esse revestimento protege o cabelo contra a ação de agentes externos como Sol, vento e poeira, evitando o ressecamento dos fios. Além disso, a cutícula contém uma camada de lipídeos que impermeabiliza e dá brilho ao cabelo.

Já a parte mediana do fio, chamada de córtex, é formada por células finas preenchidas com uma proteína chamada queratina. Em seu interior, elas possuem os pigmentos que dão a cor aos cabelos, chamados de melaninas. Por fim, a parte mais interna, conhecida como medula – nem sempre presente nos pelos mais finos –, tem estrutura mais variável. Ela pode ser preenchida por proteínas ou simplesmente por ar.

folículo piloso

Os cabelos (1) crescem a partir do folículo piloso (4), uma estrutura presente na pele humana (2) responsável por alimentar as células da raiz dos fios. Nas glândulas sebáceas (5), é produzido o sebo (3), uma substância rica em lipídeos que ajuda a impermeabilizar e proteger os fios (Ilustração: National Institutes for Health)

A raiz dos cabelos, por sua vez, é uma estrutura formada por células vivas, que se multiplicam rapidamente. Ela é a grande responsável pelo crescimento dos fios e se localiza no folículo piloso, uma estrutura presente na pele responsável pela nutrição das células da raiz e que também regula a velocidade de crescimento, a espessura e a cor do fio de cabelo.

Você já deve ter reparado quantas cores de cabelos diferentes existem por aí. A variedade de cores naturais é obtida pela presença, em proporções variáveis, de dois tipos de pigmentos: a eumelanina e a feomelanina. Fios de cabelo com grandes quantidades de eumelanina e pouca feomelanina são pretos. À medida que a quantidade de eumelanina vai diminuindo e a quantidade de feomelanina vai aumentando, a coloração do cabelo é alterada para tons de castanhos e loiros.

Menino de cabelos ruivos

As pessoas ruivas, que possuem o cabelo naturalmente vermelho, têm uma mutação genética que impede a produção de eumelanina. Assim, o acúmulo de feomelanina torna o cabelo avermelhado (Foto: Tanya Little / Flickr / CC BY-SA 2.0)

Além das cores naturais, existem atualmente várias outras cores e tonalidades disponíveis na forma de tintura para cabelo – algumas, diga-se de passagem, bem estranhas, como o azul e o vermelho cereja. Os métodos de coloração instantânea geralmente envolvem a destruição do pigmento natural do cabelo (descoloração) com produtos químicos, como peróxidos (água oxigenada, por exemplo) ou amônia.

Depois de destruir a cor natural dos cabelos, uma nova coloração é incorporada aos fios. Um detalhe curioso é que geralmente os pigmentos introduzidos no cabelo são incolores, e ganham a cor desejada após entrarem nos fios, ao reagir com substâncias especiais, como os peróxidos usados para descolorir o cabelo.

 

Senhora de cabelos brancos

Conforme as pessoas envelhecem, vão surgindo os cabelos brancos. Isso acontece porque as células da raiz do cabelo param de produzir qualquer tipo de pigmento (Foto: Flickr / yooperann / CC BY-NC-ND 2.0)

Agora que você entendeu direitinho como funcionam as tinturas para cabelos, já sabe quanta química elas envolvem. Esses produtos podem causar danos à saúde e, por isso, não devem ser usados em crianças. Em adultos, devem ser usados com muito cuidado, respeitando-se os tempos de aplicação indicados pelos fabricantes e com a ajuda de profissionais especializados.

Matéria publicada em 21.12.2012

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Joab Trajano Silva

Desde criança, o autor da coluna No laboratório do Sr. Q pensava em ser biólogo. Mas, enquanto cursava a faculdade, descobriu que precisava de conhecimentos químicos para entender como os seres vivos funcionam. Juntou as duas coisas e foi ser bioquímico.

CONTEÚDO RELACIONADO

Parque Nacional de Itatiaia

A primeira área de preservação ambiental do Brasil

Pequenos notáveis

Conheça os peixes criptobênticos!

Open chat