Astro ameaçado

Anos atrás, quando eu era criança, viajamos para o litoral do Espírito Santo. Pai, mãe, irmãos, tios, primos… Lembro que foi uma grande viagem em família. Certo dia, almoçamos em um restaurante à beira da praia, cheio de delícias culinárias do local. Dá água na boca só de lembrar!

Pouco depois do banquete, vi muitas pessoas se amontoando em volta de alguma coisa na areia. Curioso como sou, fui conferir o que era. Um rapaz tinha em suas mãos uma enorme estrela-do-mar. Eu nunca tinha visto uma assim, viva e tão de perto. Fiquei maravilhado. Só não me recordo o desfecho da história. O que fizeram com a estrela? Mistério.

Estrela-do-mar

A Oreaster reticulatus pode atingir 50 centímetros de diâmetro e é encontrada ao longo de todo o litoral brasileiro, embora seja cada vez menos abundante (Foto: Sean Nash / Flickr / Creative Commons)

Quando retornamos para casa, em Minas Gerais, levamos uma lembrança da praia. Um esqueleto de estrela-do-mar, que, por muitos, anos ficou “enfeitando” a sala de visitas. Pouco tempo atrás, descobri que aquele esqueleto da sala pertencia à espécie Oreaster reticulatus, e resolvi desvendar o significado do seu nome científico.

Nesta foto, podemos ver claramente os tubérculos que cobrem a superfície do corpo da Oreaster reticulatus, assim como sua aparência reticulada, ou seja, lembrando uma rede (Foto: Sean Nash / Flickr / Creative Commons)

O corpo da Oreaster reticulatus é coberto por muitos tubérculos, dando a impressão de que a superfície do animal é repleta de pequenos montes. Isso explica o nome do gênero, que, em grego, pode ser traduzido como “estrela montanhosa”. Por sua vez, o nome específico reticulatus significa “reticulado” em latim. Dizemos que alguma coisa é reticulada quando sua forma ou sua coloração lembram uma rede, e é justamente isso que notamos ao observar uma Oreaster reticulatus.

As estrelas-do-mar têm um esqueleto interno, composto pelo mineral calcita. Ele é formado por ossinhos pequenos, interligados por um tecido que garante mobilidade quando o animal está vivo. As estrelas-do-mar “secas”, vendidas nas praias, são, portanto, apenas os esqueletos (Foto: Michela Borges / cifonauta.cebimar.usp.br / Creative Commons)

Além de desvendar o significado do nome da Oreaster reticulatus, descobri algo triste: esta espécie está ameaçada de extinção na natureza. Além dos problemas causados pela poluição lançada no mar, essas estrelas têm sofrido com a coleta indiscriminada, destinada à venda para criação em aquários, ou para decoração, como o esqueleto na sala de visitas que tínhamos em casa. Só que a maioria das pessoas não sabe disso, da mesma forma que meus pais não sabiam quando compraram a estrela-do-mar como lembrança da viagem que fizemos à praia. Então, fica a lição: como o nome já diz, o lugar de estrela-do-mar não é na nossa casa.

Matéria publicada em 05.10.2012

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Henrique Caldeira Costa

Curioso desde criança, Henrique tem um interesse especial em pesquisar a história por trás dos nomes científicos dos animais, que partilha com a gente na coluna O nome dos bichos

CONTEÚDO RELACIONADO

Parque Nacional de Itatiaia

A primeira área de preservação ambiental do Brasil

Pequenos notáveis

Conheça os peixes criptobênticos!

Open chat