A água gelada, a tia pelada e o sal do mar

Quanto mais eu caminhava pelas ruas que me levariam ao desconhecido, maior era minha ansiedade. Eu deveria ter uns cinco anos, e pela primeira vez veria o mar. Chegando à areia, as expectativas só aumentaram. Lembro que me impressionavam a regularidade das ondas, o vento constante e o gosto de sal da água.

Quando criança, lá pelos cinco anos, fui ver o mar pela primeira vez. Ao mergulhar, o gosto de sal da água me impressionou (Imagem: Domínio Público)

No primeiro mergulho, o medo das pequenas marolas que se assemelhavam a ondas gigantes. Em seguida, a emoção de me libertar das mãos de minha tia, que resultaram em cambalhotas debaixo d’água, vários arranhões e – na tentativa de voltar a me apoiar – o biquíni dela perdido nas ondas.

O mar, desde então, passou a ser meu destino certo para as férias. Águas geladas, águas quentes, algumas vezes com chuva, outras com muito sol. Porém, a água era sempre salgada. Comecei também a perceber que a água era mais salgada em uma praia e menos em outra. Mas por quê? E de onde teria surgido o sal da água?

No decorrer do tempo geológico, os mares tiveram características muito diferentes das existentes atualmente. Veja a distribuição das terras e oceanos há 400 milhões de anos e tente descobrir onde estariam nossas praias! (Imagem: Ron Blakey / NAU Geology / CC BY-SA 3.0)

Inicialmente entendi que, se a praia onde eu estava era próxima à foz de um rio, suas águas eram menos salgadas. Porém, se estava em locais de pequenas baías, onde havia muito vento e sol forte, as águas eram bem mais salgadas. Assim, a água doce dos rios diminuía a quantidade do sal na água. Mas a questão principal continuava: de onde teria vindo o sal?

Quando estudamos a origem da Terra, entendemos que ela sempre se encontra em transformação. Certamente, no início da formação dos primeiros mares, há alguns bilhões de anos, suas águas não possuíam a salinidade encontrada nos mares atuais.

Os mares são sempre muito diferentes uns dos outros. O Mar Morto, por exemplo, é tão salgado e quente que grandes crostas de sal se formam em suas praias (Foto: Hanna Azar / Domínio Público)

Se voltássemos no tempo e tivéssemos a possibilidade de observar a origem do primeiro oceano, ficaríamos surpresos pois suas águas teriam pouquíssimo sal. Sabe por quê? O gosto salgado vem dos elementos químicos que são transportados pelos rios, a partir da erosão das rochas da crosta terrestre.

Alguns dos elementos mais comuns – como cálcio, magnésio, sódio e potássio – fornecem o gosto de sal. Quando os oceanos se formaram, eles quase não estavam presentes, e a água era muito pouco salgada. Para gerar a salinidade, foi preciso que esses elementos fossem levados continuamente ao interior dos mares, gerando um acúmulo progressivo ao longo de milhões de anos. Assim, as águas marinhas se tornaram mais salgadas do que as águas dos rios.

Agora imagine os mares do passado, e como pode ter sido diversificada a vida em suas águas. E então, você encararia este mergulho no Jurássico? (Ilustração: Bogdanov / Wikimedia Commons / CC BY 2.5)

A história do sal dos mares é cheia de mistérios e descobri-los traz sempre a sensação agradável de vislumbrar o que existe no horizonte em direção ao oceano. Deixe sua imaginação caminhar rumo ao desconhecido, pois no final sempre haverá uma praia com ondas suaves, um vento constante e o balanço salgado das águas do mar.

Matéria publicada em 08.02.2013

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Ismar de Souza Carvalho de Souza Carvalho

CONTEÚDO RELACIONADO

Parque Nacional de Itatiaia

A primeira área de preservação ambiental do Brasil

Pequenos notáveis

Conheça os peixes criptobênticos!

Open chat