Chove chuva, chove sem parar


De janeiro a junho, chove praticamente todos os dias em um certo município do Amapá. A cada mês são registrados mais de 25 dias chuvosos. Mas não é só isso que impressiona. Anualmente, são, em média, 4.165 milímetros de chuva que caem das nuvens: o equivalente a pouco mais de quatro litros de água. Parece pouco? Então, saiba que, se toda essa chuva não escorresse e nem fosse absorvida pelo solo, o município amapaense se transformaria em uma piscina com quatro metros de profundidade em um ano!

Mas, afinal, qual o nome desse incrível lugar? Meninos e meninas, anotem aí: é Calçoene. Esse município amapaense de cerca de sete mil habitantes acaba de ganhar o título de lugar mais chuvoso do país, desbancando a região da Serra do Mar entre Paranapiacaba e Itapanhaú, em São Paulo, até então apontada como o local onde mais chovia no Brasil, com média anual de 3.600 milímetros de chuva.

O responsável por colocar Calçoene no mapa das chuvas é Daniel Pereira Guimarães, pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo, de Minas Gerais. Daniel realizou um trabalho e tanto. Ele analisou o que os especialistas chamam de séries históricas de chuvas: isto é, quanto choveu, a cada dia, em determinado lugar do país. O pesquisador analisou os dados coletados por mais de 400 estações meteorológicas da Amazônia e, então, encontrou informações sobre o município amapaense, onde, no ano 2000, chegou a chover sete mil milímetros. Para se ter uma idéia do que isso significa, saiba que a média, no país, é de 1.300 a 1.500 milímetros de chuva por ano.

Mas por que somente agora Calçoene ganhou o merecido título de lugar mais chuvoso do país? Segundo Daniel, o município não aparecia em estudos anteriores por falta de dados confiáveis. “As informações sobre a quantidade de chuva no país estavam dispersas e não seguiam o mesmo padrão”, explica ele. Com a criação da Agência Nacional das Águas, no ano 2000, essa situação mudou. Foram organizados bancos de dados com séries históricas de todos os estados brasileiros, que têm informações consideradas confiáveis, por terem sido coletadas ao longo de, pelo menos, trinta anos.

Além de colocar o município de Calçoene no topo do ranking dos lugares mais chuvosos do Brasil, o trabalho do pesquisador da Embrapa mostrou ainda que existem áreas na Amazônia que são extremamente secas, como algumas localizadas no nordeste de Roraima. Ter informações como essas – que retratam onde chove mais ou menos – é fundamental para a agricultura. “Dessa forma, é possível indicar qual tipo de cultura deve ser plantada em determinada região e em qual época. Mas ainda há aplicações úteis também para áreas urbanas. É possível definir as áreas de riscos de enchentes e inundações, por exemplo, assim como o tamanho ideal das redes que coletam as chuvas, os bueiros para escoar a água etc.”, explica Daniel. Para você ver que ficar de olho nas chuvas é muito importante!

Matéria publicada em 22.06.2010

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Mara Figueira

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat