Brasil na mira dos tornados

Nós, brasileiros, gostamos de dizer que nosso país está livre de desastres naturais como terremotos, furacões, tsunamis… Mas talvez isso não seja verdade, pelo menos em relação aos tornados – colunas de ar que giram em altíssima velocidade, causando grande destruição. Sabe por quê? Um estudo da Universidade Estadual de Campinas mostrou que, nos últimos 20 anos, mais de 200 tornados aconteceram por aqui.

Tornado

No Brasil, os tornados atingem, em geral, até 200 quilômetros por hora e duram apenas minutos – nos Estados Unidos, por outro lado, os tornados podem durar horas e atingem até 300 quilômetros por hora (Foto: Justin Hobson/ Wikimedia Commons /CC BY-SA 3.0)

Se você tomou um susto com esses números, saiba que o Brasil está entre os países do mundo que mais sofrem com esse tipo de desastre e, infelizmente, ainda não existe por aqui um sistema eficiente para detectar e registrar os tornados.

Para saber quantos tornados aconteceram nas últimas décadas, o estudo, além de considerar os registros oficiais, incluiu também dados de jornais e páginas virtuais. “Hoje, todo mundo tem um celular com câmera filmadora e fotográfica para registrar o evento e disponibilizar na internet”, aposta o geógrafo Daniel Henrique Candido.

Tornado

Os tornados se formam principalmente durante tempestades severas em áreas planas. O contato entre massas de ar quentes e frias, com diferentes pressões, gera a nuvem em forma de cone com movimentos de redemoinho, que atinge o solo, destruindo o que estiver pela frente (Foto: Daphne Zaras / Wikimedia Commons)

Nos 20 anos incluídos na pesquisa, São Paulo foi o estado mais atingido por tornados, seguido por Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Segundo Daniel, esse resultado é surpreendente, pois as condições atmosféricas e o relevo da região Sul parecem mais propícios ao surgimento de tornados.

Uma explicação possível para o grande número de tornados observados em São Paulo, é que as construções de concreto e a poluição das grandes cidades favorecem a formação de ilhas de calor que aquecem a atmosfera da região. Ao mesmo tempo, o represamento dos rios gera mais umidade do ar, criando condições favoráveis à formação de tornados.

Destruição após passagem de tornado

A passagem de um tornado pode derrubar árvores, arrancar telhados de construções mais frágeis e causar fortes chuvas, entre outros danos. Por isso, é importante monitorar a ocorrência do fenômeno e tentar prevê-lo (Foto: Roberto Fioritto/ Flickr – CC BY-NC-ND 2.0)

Daniel usou os dados sobre tornados nas décadas passadas para desenvolver um modelo que permita calcular o risco desses eventos nos estados do Centro-sul do país. Segundo ele, as chances de um tornado ocorrer no Rio Grande do Sul e em São Paulo são parecidas: cerca de 25% ao ano. Em São Paulo, o mês com maior ocorrência de tornados é maio, enquanto, no Sul, o fenômeno acontece desde a primavera, em outubro, até o final do verão.

Matéria publicada em 04.12.2012

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Sofia Moutinho

Curiosidade é meu lema! Desde pequena busco respostas para as perguntas mais intrigantes. Melhor que estar por dentro da ciência, só compartilhar com vocês esse conhecimento!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?