(Bara)ta-ta-ta-ta-ravó

Vou logo avisando: para quem tem medo de baratas, esta é uma notícia difícil de ler. Mas aposto que os leitores da CHC são muito corajosos, certo? Por isso, vou contar: cientistas brasileiros encontraram nada menos que 18 fósseis da barata pré-histórica Anthracoblattina mendesi no município de Mafra, em Santa Catarina.

Exemplar fossilizado da barata <i>Anthracoblattina mendesi</i>. Note a venação amarelada das asas, devido à presença de pirita, principal mineral que levou à preservação dos fósseis. (foto: Luiz Flávio Lopes)

Exemplar fossilizado da barata Anthracoblattina mendesi. Note a venação amarelada das asas, devido à presença de pirita, principal mineral que levou à preservação dos fósseis. (foto: Luiz Flávio Lopes)

Nem todos os fósseis estavam completos, mas, com tantos exemplares à disposição, os pesquisadores, liderados pelo paleontólogo João Ricetti, da Universidade do Contestado, conseguiram ter uma boa ideia de como o animal era quando estava vivo, quase 300 milhões de anos atrás.

Em geral, os fósseis encontrados estavam muito comprimidos – achatados, por assim dizer –, mas alguns preservavam ainda alguma tridimensionalidade. Outra característica interessante é que, durante o processo de fossilização, as partes mais moles do corpo das baratas foram substituídas por pirita, um mineral amarelado também conhecido como o “ouro dos tolos”, por sua semelhança com o valioso metal.

João Ricetti examinando fósseis no campo. (foto: Solon Soares)

João Ricetti examinando fósseis no campo. (foto: Solon Soares)

No laboratório, os cientistas guardaram esses fósseis mergulhados em óleo mineral, o que ajuda a preservá-los e também a visualizar alguns detalhes de seu corpo, por exemplo, as enervações presentes em suas asas – característica importante para diferenciar as espécies de insetos pré-históricos.

Pela análise dos fósseis, João e seus colegas chegaram à conclusão de que A. mendesi era uma excelente corredora, como as baratas atuais. Só pensar nisso me dá calafrios…

Os grandes olhos da barata pré-histórica estavam inclinados para cima e para o lado da cabeça. As mandíbulas eram grandes e as asas, bem desenvolvidas. Mas, antes que alguém tenha um piripaque de pavor, vale dizer que o animal não era particularmente grande: media apenas cinco centímetros de comprimento (sem as antenas).

Ilustração detalha a espécie. (imagem: Ricetti et al)

Ilustração detalha a espécie. (imagem: Ricetti et al)

Bem, se você ficou admirado com a idade de A. mendesi, saiba que ela não é a barata mais antiga já encontrada. Um fóssil encontrado na China tem nada menos que 320 milhões de anos! Cerca de 315 milhões de anos atrás – ou seja, 85 milhões de anos antes de surgir o primeiro dinossauro –, esses insetos já haviam se diversificado bastante e se espalhado pelo planeta. E você acha que pode exterminá-los com um chinelo?

Matéria publicada em 12.09.2016

COMENTÁRIOS

  • ISAAC MONTEIRO

    Eu ISAAC entendi Que abarata foi encontrada a muito tempo atras em santa catarina

    Publicado em 6 de julho de 2020 Responder

  • Maria Clara Theodoro dos Santos

    Achei muito enteresante pois tenho muito medo

    Publicado em 7 de julho de 2020 Responder

  • Maria Fernanda

    Eu morro de medo de baratas

    Publicado em 9 de julho de 2020 Responder

  • l

    Eu achei interesante aprender sobre baratas

    Publicado em 7 de agosto de 2020 Responder

  • Duda

    Tinha que fazer uma reportagem sobre isso?

    Publicado em 12 de agosto de 2020 Responder

  • Maria Luiza Assad

    Nunca suspeitei que a barata fosse um inseto tão antigo, chegando ser mais velha que os dinossauros. Nossa!

    Publicado em 3 de setembro de 2020 Responder

  • Gisele Monteiro Silva

    Uau…. acho baratas animais bem interessantes, mas essa me deu um medinho

    Publicado em 11 de setembro de 2020 Responder

  • luciano legaspe

    idi amais uau

    Publicado em 5 de outubro de 2020 Responder

  • luciano legaspe

    idi amais uau uma barata veia kk

    Publicado em 5 de outubro de 2020 Responder

  • bob

    q caio bugo ta fingindo se o pro mai nu e kkkk

    Publicado em 5 de outubro de 2020 Responder

  • Rebeca Mariane

    Quase tive um piripaque e quase cai durinha no chão

    Publicado em 11 de maio de 2021 Responder

  • Fernanda Marques

    Eu gostei muito das informações. Fico pensando o quanto a profissão de paleontólogo é importante para descobrir os mistérios que cercam a evolução das espécies e desvendar o nosso passado.

    Publicado em 8 de junho de 2021 Responder

  • João Pedro Soares

    João Pedro Pereira Soares
    Eu não gostei pq eu tenho medo de barata Dattebayo

    Publicado em 17 de junho de 2021 Responder

    • ;3

      concordo João Predro Soares Dattebane

      Publicado em 23 de fevereiro de 2022 Responder

    • ;3

      concordo João Predro Soares Dattebane e eu tambem tenho um pouco de medo de baratas.

      Publicado em 23 de fevereiro de 2022 Responder

  • Gabriel Maia

    Gostei muito dessa notícia. Ela é muito curiosa e interessante.
    Eu não tinha ideia que tinha barata há 300 milhões de anos atrás.

    Publicado em 3 de novembro de 2021 Responder

Responder Cancelar resposta

Alexander Kellner

É paleontólogo e já esteve em expedições para algumas das áreas mais remotas do planeta, como Antártica e desertos no Irã e na China. Adora ler tudo o que encontra sobre dinossauros e outros fósseis.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat