Jornada ao interior do Brasil

Muito antes de existirem autoestradas ou trilhos de trem, mercadorias eram transportadas em lombo de burros e mulas. Eram centenas, às vezes milhares de animais, que viajavam meses a fio transportando produtos e mantimentos para as mais diferentes regiões do país. E quem cuidava de tantos burricos e mulinhas? Eram os tropeiros – assim chamados por conduzirem as tropas de animais pelas tantas rotas que ligavam cidades próximas ou distantes.

Tropeiros atravessam rio

A cavalo, aventureiros atravessam o rio Santa Cruz, no município de São Francisco de Paula, no Rio Grande do Sul (Foto: Valter Fraga Nunes)

As caravanas que percorriam a região sudeste, entre Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e arredores, eram chamadas de tropas cargueiras. Levavam todo tipo de mercadoria, desde gêneros alimentícios até artefatos têxteis para abastecer o comércio local.

Já as comitivas tropeiras que vinham do sul, desde o Rio Grande, Uruguai e Argentina, eram chamadas de tropas xucras. Transportavam animais para serem vendidos nas grandes feiras que aconteciam na cidade de Sorocaba, no estado de São Paulo.

Transportar estes animais era uma aventura e tanto! Para conhecê-la melhor, você pode juntar os amigos em volta do Jogo do Tropeiro, uma brincadeira que recria as antigas expedições desses viajantes pelo interior do Brasil.

Jogo do Tropeiro

O Jogo do Tropeiro é composto de tabuleiro, baralho e dominó (Foto: Divulgação)

Desenvolvido pelo professor de português e literatura Silvestre Alves Gomes, da Secretaria de Educação do Paraná, o tabuleiro é o mapa das rotas, e, com o auxílio de cartas de baralho, o jogador enfrenta os numerosos desafios que aparecem pelo caminho. Cobras venenosas, ladrões, emboscadas de índios e rios caudalosos são alguns dos obstáculos que o jogador deve superar até atingir o objetivo: conduzir e preservar a tropa de animais até seu destino final.

Para conseguir o jogo – que em breve terá uma versão online –, basta entrar no site do projeto e encomendar o seu.

Curiosidades tropeiras

Você já ouviu a expressão “dar com os burros n’água”? Ela é de origem tropeira. Em épocas de cheia, era impossível atravessar os rios. Diante desse obstáculo natural, os tropeiros diziam que “davam com os burros n’água”, e era prudente aguardar as águas baixarem até que a travessia fosse segura (até que o rio desse vau, ou seja, passagem). Essas situações atrasavam a tropeada.

Outra expressão famosa que se originou com os tropeiros é “picar a mula”. Como você já sabe, o objetivo dos tropeiros que vinham  pelos caminhos do sul era transportar centenas de burros e mulas até a feira de Sorocaba (SP). Quando finalmente chegavam lá, a missão do tropeiro era dividir a tropa em pequenos lotes. Por isso diziam “picar a mula”, isto é, dividir os animais em grupos menores para o comércio.

Matéria publicada em 26.04.2012

COMENTÁRIOS

  • Manuela Petri

    Eu amo ver coisas sobre o passado descobrir lugares musicas muitas coisas amo viajar pelo mundo gosto muito de ouvir histórias diferentes,etc…

    Publicado em 1 de novembro de 2020 Responder

Envie um comentário

Henrique-Kugler

Adoro viajar e fotografar. Conhecer músicas de diferentes lugares do mundo é meu passatempo favorito. Ah, e adoro comer chocolate e tomar chimarrão – uma espécie de chá de erva-mate, planta típica do sul do Brasil.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat