Ave em alto mar

O que é o que é: tem nome de papagaio, jeito de pinguim e pés de pato. Adivinhou quem respondeu papagaio-do-mar, um animal que, apesar do nome, não é parente do papagaio e passa a maior parte da vida próximo ao oceano. Para saber mais sobre ele, conversamos com a bióloga Andrea Schmidt, especialista em conservação de animais silvestres e fotógrafa que viaja pela Europa registrando exemplares da fauna.

Apesar do nome, o papagaio-do-mar não é parente dos papagaios e passa a maior parte do tempo perto do oceano.

Apesar do nome, o papagaio-do-mar não é parente dos papagaios e passa a maior parte do tempo perto do oceano. (foto: Andrea Schmidt)

Andrea explicou que existem três espécies de papagaio-do-mar: o Fratercula cirrhata, o Fratercula corniculata e o Fratercula arctica. Para conhecer melhor esse último, popularmente chamado de papagaio-do-mar-do-atlântico, a bióloga viajou até a Escócia e fez belas imagens do bicho. Segundo ela, essa é a única espécie encontrada na Europa e habita ilhas do Reino Unido, França, Noruega e Islândia, além da América do Norte.

A ideia de fotografar e estudar o papagaio-do-mar surgiu enquanto Andrea navegava na internet. “Eu dei de cara com uma foto dele e me encantei. Comecei a pesquisar muito sobre o comportamento deles e decidi planejar a viagem”, lembra. Durante a pesquisa, Andrea descobriu que a ave passa oito meses do ano sem pisar em terra firme, voando por aí e descansando em alto mar, boiando feito um pato. Esse hábito deixa muitos cientistas intrigados, pois ninguém sabe muito bem o que o o bicho faz nesse período.

Entre abril e agosto, o papagaio-do-mar fica em terra firme e aproveita para encontrar sua namorada, que é sempre a mesma por toda a vida do animal. É também em terra firme que o casal constrói um ninho para os filhotes. “Primeiro, cavam um buraco na terra e, depois, passam dias coletando folhas, gravetos, flores e o que mais encontrarem para forrar o ninho e deixá-lo mais quentinho”, explica Andrea.

O papagaio-do-mar coleta folhas para deixar o ninho mais aquecido. (foto: Andrea Schmidt)

O papagaio-do-mar coleta folhas para deixar o ninho mais aquecido. (foto: Andrea Schmidt)

Quando os filhotes nascem, os pais se esforçam para alimentá-los. “O mais curioso é a capacidade que eles têm de carregar muitos peixes na boca de uma só vez”, conta Andrea. “O canto do bico forma uma dobradiça que ajuda a segurar os peixes e o céu da boca e a língua tem pequenos espinhos que seguram os peixes enquanto eles pescam mais”. De acordo com a bióloga, já foi registrado um papagaio-do-mar carregando 60 peixes no bico de uma vez só!

Viagem à Escócia

Foi na ida à Escócia que Andrea descobriu que, além de interessante, o papagaio-do-mar é muito amigável. Na ilha que conheceu, as pessoas podem fazer visitas que duram no máximo três horas para não atrapalhar a vida dos animais, que parecem já estar acostumados com a presença dos humanos.

“Às vezes eles paravam na minha frente e ficavam me olhando por alguns segundos, daí corriam para perto de algum arbusto pra arrancar algumas folhas e flores e voltavam pra me olhar”, conta a bióloga. “Parecia que eles queriam ser fotografados e estavam até fazendo poses. Foram os animais mais carismáticos que eu tive o privilégio de conhecer e fotografar.”

Simpático, o papagaio-do-mar parece conviver bem com os humanos. (foto: Andrea Schmidt)

Simpático, o papagaio-do-mar parece conviver bem com os humanos. (foto: Andrea Schmidt)

Apesar da boa relação com os humanos, o papagaio-do-mar já sofreu com a caça em diversos países. Andrea conta que, atualmente, a Islândia é o único país que permite a caça da ave. “Eles caçam para comer e usam as penas como recheio de travesseiro, mas também existe a caça esportiva e até agências de viagens que vendem pacotes para que as pessoas possam ir à Islândia caçá-los”, lamenta.

No passado, em algumas ilhas dos Estados Unidos, as colônias de papagaio-do-mar foram caçadas até desaparecer. Preocupados com a possível extinção do animal, especialistas criaram projetos de conservação para proibir a prática. Ainda bem, não é mesmo?

Ficou curioso para saber mais sobre o papagaio-do-mar? Então confira a seguir uma galeria com fotos que Andrea tirou desse animal:

[jj-ngg-jquery-slider gallery=”67″ html_id=”about-slider” width=”600″ height=”450″center=”1″ effect=”fade” pausetime=”7000″ order=”sortorder” animspeed=”400″]

Matéria publicada em 29.08.2014

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Eu já vi esta ave perto de uma praia, ela bem bonita!

    Publicado em 13 de janeiro de 2019 Responder

Envie um comentário

Mariana Rocha

Cresci gostando de fazer descobertas para escrever sobre elas. Na CHC consigo ser curiosa e escritora, tudo ao mesmo tempo!

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat