Quando Crescer, Vou Ser...

Atleta de salto ornamental!

Você é daqueles que adora dar um mergulho para se refrescar quando está calor? Por acaso a água é o lugar onde você se sente mais à vontade? Então a primeira coisa a fazer é aprender a nadar! Além de tornar seus mergulhos mais seguros, essa habilidade pode fazer de você um atleta profissional. Seja no mar, nos rios, nos lagos ou nas piscinas, o nado é a base para muitos esportes.

Filósofa/o!

Você é daquelas pessoas que gostam de questionar tudo à sua volta? Das matérias na escola ao trabalho dos seus pais? Das leis da natureza ao comportamento das outras pessoas? Se, para você, o “porque sim” nunca é suficiente, então é bom considerar com carinho o caminho do estudo da filosofia!

Oceanógrafo (a)!

Você sabia que o ponto mais profundo do oceano está a cerca de 11 mil metros abaixo do nível do mar? E que essa profundidade consegue ser maior que a montanha mais alta da Terra, o Everest?! Sabia também que mais de dois terços do nosso planeta é coberto pelas águas do oceano? Descobertas incríveis como essas são possíveis graças à oceanografia!

Cozinheiro!

Você é do tipo que fica todo animado só de sentir aquele cheirinho de comida vindo da cozinha e não perde tempo na hora de ajudar a preparar os pratos? Então talvez você deva considerar a profissão de cozinheiro/a! Esse é um dos trabalhos mais essenciais que existem, e normalmente a pessoa começa a aprender e tomar gosto sem perceber, na cozinha da própria casa.

Bombeiro!

Sabia que um/a bombeiro/a faz muito mais do que salvar um prédio em chamas? Não que isso seja pouco, mas os filmes não costumam fazer justiça a tudo o que esse/a profissional precisa fazer no dia a dia. Quem nos conta é Carlos Figueiredo, cabo do Corpo de Bombeiros do estado de Alagoas. Ele segue essa carreira há 13 anos!

Policial!

Quem nunca brincou de ser policial e correr atrás de bandidos? Essa é uma brincadeira muito divertida, não é? Mas, na vida real, o trabalho de um/a policial é bastante perigoso.

Etnoherpetólogo/a!

O nome dessa profissão pode lhe parecer novo (e estranho). Mas, na prática, os estudos etnobiológicos são muito antigos!

Profissional de divulgação científica!

Para entender como os números podem “falar” sobre como uma doença se espalha, a CHC foi conversar com Ricardo Takahashi, professor titular do Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pesquisador da área de epidemiologia matemática há 20 anos.