Um lugar que mistura história e diversão

Imperadores, vikings, trens, aviões, química, doces, magia, fantasmas… Tudo isso faz parte de York, na Inglaterra!

Torre preservada do Castelo de York.
Foto Wikipédia

York é uma cidade beeeem antiga. Foi fundada no ano 71. Em que ano estamos? Pausa na leitura para você fazer as contas e descobrir quantos anos tem York… E aí? É ou não é muito antiga?

A cidade surgiu quando a Europa ainda era dominada pelos romanos. Tudo começou quando cinco mil homens construíram muralhas em torno do rio Ouse e ergueram um castelo. Dele, os romanos controlavam o comércio e os povos de seu território na região central da ilha da Bretanha, onde hoje fica a Inglaterra.

Antes de se chamar York, a região era conhecida como Eboracum, que significa “local dos teixos”. Teixo era uma árvore bem conhecida pelos romanos, que a usavam na fabricação de armas, como arcos e flechas.

 

Dos romanos aos vikings

Os romanos – incluindo imperadores, como Constantino (ou “Cesar”) – estiveram na atual York por cerca de 400 anos. Mas, por volta do século 5, abandonaram a região, que foi ressurgir no século 7, época da construção de uma magnífica catedral repleta de vitrais medievais. Ao lado da catedral há uma bela estátua de Constantino junto a uma grande coluna romana. No local, passaram a viver os saxões – povos vindos de onde hoje é a Alemanha. Eles passaram a chamar a região de Eoforwick, que significa “assentamento de javalis”.

No ano 866, chegaram os vikings, guerreiros vindos do norte da Europa, que viajavam explorando povos e colonizando novos territórios. Ficaram na região por 200 anos e mudaram seu nome para Jorvik, que evoluiu até o nome atual, York.

A Catedral de York foi construída no século 7.
Foto Freepik

York hoje

A York de hoje ainda é cercada por suas antigas muralhas do tempo dos romanos e conserva uma torre do velho castelo. Seus seis portões fortificados foram transformados em pubs, um tipo de bar. Neles, os visitantes podem experimentar o prato típico: peixe empanado com batatas fritas.

Ao chegar à cidade pela bela estação de trem, vê-se logo a muralha, com suas pontes e jardins em volta. Atrás da estação de trem uma grata surpresa: um imenso museu com duzentos anos de história dos trens.

Um dos portões de entrada da cidade de York.
Foto Tanya Dedyukhina/Wikipédia
O museu ferroviário da cidade conta a história dos trens desde as primeiras máquinas a vapor.
Foto Geof Sheppard/Wikipédia

Voando para as gostosuras

Se quiser ir dos trilhos para o ar, saiba que o maior museu privado de aeronaves também fica em York. Há de aviões usados em guerras e munições até os gigantes do transporte moderno de passageiros. Helicópteros e outros tipos de aeronaves, motores e sua evolução… Está tudo lá!

Tudo isso já poderia ser suficiente para tornar a cidade interessante, mas York tem ainda mais a oferecer: é conhecida por suas fábricas de chocolate e doce de leite. Suas padarias com cones de queijo e casas de chá também são uma delícia!

 

Fantasmas? Cadê?

Quer mais surpresas? York também é conhecida como “a cidade dos mil fantasmas”. Os visitantes podem fazer diversos passeios, a pé ou de ônibus, em que os guias contam histórias aterrorizantes para todas as idades. Caminhando pelas ruas, há uma grande quantidade de lojas de artigos fantasmagóricos para se ver!

Aliás, andar pelas ruas de York faz os fãs da série inglesa Harry Potter se sentirem parte das fantásticas histórias. Dezenas de lojas vendem varinhas, vassouras, chapéus e poções, e podem ser visitadas em ruas estreitas, com casas tortas. Um caldeirão de imagens que fazem lembrar o jovem bruxo.

Caminhar pelas ruas e ouvir histórias de fantasmas é passeio turístico em York.
Foto Peter K. Burian/Wikipédia

Divertida e sustentável

Romanos, vikings, trens, aviões, gostosuras… York tem tudo isso e ainda respira ciência! A cidade tem centros de excelência em química verde, a área da química que procura fazer tudo de forma mais sustentável, limpa e sem agredir o meio ambiente. Com diversos lagos repletos de patos selvagens, a Universidade de York realiza muitas pesquisas com novos combustíveis, fontes de energia mais limpa e materiais recicláveis. É ou não é uma cidade interessante?

Valdir Florêncio da Veiga Júnior

Departamento de Engenharia Química
Instituto Militar de Engenharia (IME)

Matéria publicada em 05.03.2020

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Para combater as epidemias: ciência!

Conheça Carlos Chagas, médico e pesquisador mineiro que fez uma grande descoberta científica.

Mãos limpas

Lavar as mãos é um dos hábitos de higiene mais eficientes na prevenção de doenças. Você não aguenta mais ouvir isso, eu sei... Mas você tem certeza de que lava bem as mãos? É o que veremos agora!