Sapo-de-chifre-gigante

Esse ‘sapão’ assustador conviveu com os dinossauros e até jantou alguns deles!

O sapo-de-chifre-gigante conviveu com os dinossauros e possivelmente devorou alguns desses animais pré-históricos.
Ilustração Nato Gomes

Ficha Técnica

Nome: Sapo-de-chifre-gigante (Beelzebufo ampinga)
Origem: Madagascar
Tamanho: entre 40 e 50 centímetros
Peso: cerca de 4,5 quilos
Época em que viveu: Entre 65 e 70 milhões de anos atrás (Período Cretáceo)

 

“Sapo-cururu, na beira do rio…” Se você nunca viu um sapo-cururu ao vivo e em cores, no mínimo, já ouviu essa cantiga popular que fala sobre ele. Os sapos-cururus (espécies do gênero Rhinella) estão entre os maiores sapos brasileiros, chegando a 25 centímetros de comprimento, mas, ainda assim, estão longe de receberem o troféu de maiores sapos do mundo. Entre as espécies viventes que disputam esse título estão o sapo-gigante-chileno (Calyptocephalella gayi) e a rã-golias africana (Conraua goliath) – as duas espécies podem ultrapassar 30 centímetros de comprimento. Mas, se queremos realmente encontrar o maior sapo do mundo, vamos ter que voltar milhões de anos no tempo. Essa viagem nos leva para a atual ilha de Madagascar, onde, entre os dinossauros, viveu o maior sapo que conhecemos: o sapo-de-chifre-gigante, batizado pelos cientistas de Beelzebufo ampinga.

 

Fred Victor de Oliveira

Departamento de Zoologia
Universidade Federal de Minas Gerais

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

CONTEÚDO RELACIONADO

Cateretê

Dança tradicional (domínio público)

Bala que se transforma

A ciência costuma dar nomes engraçados para as coisas. Na mistura de água com açúcar, o açúcar é chamado soluto e a água, solvente.