Rumpelstichen

Um conto de fadas de origem alemã

Ilustração Marina Vasconcelos

Em um reino distante havia um camponês que trabalhava moendo trigo. Ele tinha uma filha e temia por seu futuro, pois não tinha dinheiro para lhe dar uma vida melhor. O homem, então,decidiu ir ao rei dizer que sua filha tinha habilidades especiais e que seria um ótimo partido para o monarca.

Disse o camponês que a filha transformava a palha do trigo que ele moía em ouro puro! O rei pensou com seus botões: “Mentiroso!”, mas fingiu acreditar para ver até aonde o homem iria com aquela farsa, e lhe fez uma proposta: “Essa habilidade é mesmo muito especial. Traga sua filha amanhã cedo ao castelo”.

No dia seguinte, quando a moça chegou, o rei ficou admirado.A menina era muito educada, inteligente e bela.Levou-a para um quartinho cheio de palha e disse:“Ao trabalho!Se em três dias essa palha não for transformada em ouro, você morrerá! Mas, se você conseguir essa façanha, eu me caso com você e serás rainha”. A moça olhou para aquela palha toda, apavorada, e pensou: “E agora?”.Sentou-se em um canto e começou a chorar alto. De repente, a porta do quarto se abriu e entrou um homem baixinho, verde,saltitante e falante:“Boa tarde, minha linda menina. Por favor, diga por que estás chorando?”.

A moça contou ao homenzinho sua história, disse o quanto estava revoltada com a proposta de seu pai, que não queria se casar com o rei e nem com ninguém.Contou que estava apavorada porque não sabia transformar nada em ouro, além de ser muito nova para morrer. O homem verde disse para ela se acalmar porque poderia resolver tudo.Ele transformaria a palha em ouro em um giro, e fez zuumm, girando o corpo! Mas, primeiro, a menina deveria adivinhar seu nome. Caso isso não acontecesse, o ouro iria se transformar novamente em palha e sua vida correria risco.

A moça, que já estava metida em uma enrascada sem tamanho, aceitou a oferta. O homenzinho ficou em péno meio da palha,girou três vezes e transformou a palha em ouro puro. Um espetáculo! Como brilhava…Então, o homenzinho perguntou a moça: “Qual é o meu nome?”.  Ela, meio tonta ainda, não soube responder, mas pediu um prazo de três dias para pensar. Ele aceitou e disse que voltaria no prazo de três dias.

Passou o primeiro dia…O segundo dia… A moça pensou, pensou e…nada! Então, ela resolveu sair do castelo e passear pela floresta para refrescar seus pensamentos. De repente, do oco de uma árvore viu uma fumaça saindo. Sua curiosidade a levou mais perto e, chegando lá, viu que era a casa do homenzinho verde, que falava em voz alta: “Hoje eu frito! Amanhã eu cozinho! Depois de amanhã será uma moça que cozinhará para mim, para sempre.Ela nunca adivinhará meu nome: Rumpelstichen!”. Enquanto dizia essas palavras, ele ria alto e debochava dela.

A filha do camponês ficou muito irritada com os planos daquele ser esquisito, ela gravou bem o nome dele e voltou correndo para o castelo. No terceiro e último dia do prazo, o homenzinho verde veio cobrar a moça, estava seguro de que sairia do castelo com uma empregada eterna. Ele perguntou a ela: “Então, moça, qual é meu nome?” Ela disfarçou e disse: “Será Raputim? Não! Rabanete! Ah!Já sei: Rumpelstichen!”, falou rápido como um espirro! O homenzinho verde arregalou o olho e disse:“Quem te contou? “, gritou furioso. E bateu o pé direito com tanta força no chão que afundou e desapareceu como fumaça.

No mesmo dia, o rei apareceu e ficou pasmo com o fato de ver tanta palha transformada em ouro. Então, ele declarou: “Serás rainha!”. Mas, a moça pediu para pensar. Afinal, ela não era obrigada a nada. Voltou para casa com parte do ouro, ajudou ao seu pai e disse para ele nunca mais mentir. E, como em todo bom conto de fada: ela viveu feliz para sempre!

 

*Rumpelstichen é um conto de fadas de origem alemã, recolhido pelos Irmãos Grimm, criadores de A Bela adormecida, entre outros contos famosos. Rumpelstichen foi publicado pela primeira vez em 1812, na obra Contos de Grimm. A versão que você acaba de ler foi livremente adaptada pela CHC. 

Fonte: Domínio Publico

Matéria publicada em 19.03.2019

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Um pouco da história do lixo

No tempo em que o Rio de Janeiro era capital do Brasil, o destino do lixo já era um problema enorme!

Na luta pela liberdade feminina

Júlia Lopes de Almeida foi uma importante escritora brasileira e grande defensora dos direitos das mulheres no Brasil.