Rios voadores

Não, o título não está errado! Esses rios são reais e podem estar passando agora mesmo por cima da sua cabeça!

Já ouviu falar que o Brasil é um dos países com a maior quantidade de rios do mundo? Pois é verdade. Essa enorme quantidade de água doce, precisamos destacar, é uma das maiores riquezas do nosso país. Grande parte dessa água fica armazenada no subsolo, abaixo da terra em que pisamos, em reservatórios subterrâneos chamados aquíferos. Mas você está se perguntando o que tudo isso tem a ver com rios voadores. Vou contar! Ou melhor, vamos pensar juntos!

O ar se desloca na atmosfera terrestre em grandes massas, semelhante à correnteza de um rio. O movimento dessas massas de ar é uma das principais forças que controlam o clima ao redor do mundo. Algumas delas estão cheias de vapor d’água, daí o nome rios voadores!

Na América do Sul, um dos principais rios voadores “nasce” no oceano Atlântico, na faixa próxima à linha do Equador, onde ocorre intensa evaporação. Essa massa de ar segue em direção à floresta amazônica, onde uma quantidade ainda maior de água é jogada para a atmosfera a partir da evaporação de solos úmidos, dos rios e da transpiração das inúmeras árvores.

Água evapora do Oceano Atlântico e forma nuvens que são levadas pelos ventos alísios para a Floresta Amazônica.
Nuvens trazem chuva para a floresta. Excesso de água se acumula no solo e é absorvida pela vegetação.
A floresta tem árvores que promovem evapotranspiração.
Água evapora do Oceano Atlântico e forma nuvens que são levadas pelos ventos alísios para a Floresta Amazônica.
Nuvens trazem chuva para a floresta. Excesso de água se acumula no solo e é absorvida pela vegetação.
A floresta tem árvores que promovem evapotranspiração.

Essa massa de ar agora mais carregada de vapor d’água segue, então, para o oeste até ser bloqueada pela Cordilheira dos Andes. Lá, parte do vapor d’água cai na forma de chuva, que alimenta as cabeceiras dos rios da Amazônia. A outra parte segue para o sul do continente, levando chuvas e umidade para as região Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil, além de países vizinhos como Argentina e Paraguai.

As massas de ar úmido são empurradas pelos alísios e encontram uma grande barreira, os Andes.
Como não podem ultrapassar os Andes, provocam chuvas ali, mas grande parte da massa de ar carregada de umidade desvia sua trajetória para o Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil. Também Paraguai e norte da Argentina.
As massas de ar úmido são empurradas pelos alísios e encontram uma grande barreira, os Andes.
Como não podem ultrapassar os Andes, provocam chuvas ali, mas grande parte da massa de ar carregada de umidade desvia sua trajetória para o Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil. Também Paraguai e norte da Argentina.

Pode parecer exagero comparar essas massas de ar úmidas com um rio, mas a quantidade de água trazida por elas é equivalente a um rio de grande volume, como o próprio Amazonas! Não é incrível?

Da próxima vez que vier a chuva, pense que aquelas gotinhas podem ter dado a volta em quase todo o continente antes de cair perto de você. Assim fica fácil entender que cuidar da qualidade do ar, das águas e das florestas pode ajudar também a controlar o clima do nosso planeta.

 


Vinícius São Pedro,
Centro de Ciências da Natureza,

Universidade Federal de São Carlos

Sou biólogo e, desde pequeno, apaixonado pela natureza. Um dos meus passatempos favoritos é observar animais, plantas e paisagens naturais.

Matéria publicada em 17.07.2019

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Floresta azul?

Debaixo d’água existe uma floresta tão importante quanto às que temos em terra firme!

Um urso pelo Brasil

Ele dominou as Américas, mas desapareceu misteriosamente

Open chat