Quem canta seus males espanta

: Ouvir (e cantar!) uma boa música traz inúmeros benefícios. Já cantou hoje? 

Ilustração Walter Vasconcelos

Nada como ouvir ou cantar uma boa música, quer dizer, uma música que você goste, que te faça bem. É difícil encontrar alguém que não goste de um ritmo pelo menos. Tem música que é do tipo “chiclete”, aquela que “gruda” na nossa cabeça e parece que não vai soltar mais – essa pode ser boa ou não! Mas também tem aquela que desperta a nossa vontade de cantar alto ou até de dançar. Parece que enquanto cantamos mandamos toda a tristeza para bem longe. Não é à toa que existe o ditado “quem canta seus males espanta”! Quer saber como isso funciona dentro do cérebro? Vamos lá!


priscila
Thalita

Priscilla Oliveira Silva Bomfim
e Thalita Mázala de Oliveira
Núcleo de Pesquisa, Ensino, Divulgação e Extensão em Neurociências (NuPEDEN)
Universidade Federal Fluminense

Sou uma pesquisadora apaixonada pelo cérebro e aqui vamos conversar sobre a (neuro) ciência dos ditados populares.
Thalita Mázala de Oliveira é minha convidada da vez. Ela é biómédica e integrante do Núcleo de Pesquisa, Ensino, Divulgação e Extensão em Neurociências (NuPEDEN) da Universidade Federal Fluminense

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

CONTEÚDO RELACIONADO

O engenheiro da lama

Um mergulho no manguezal pode revelar muitas curiosidades sobre o caranguejo-uçá!

Fora da Terra

Em uma viagem fora da Terra, podemos descobrir como os satélites nos ajudam a perceber mudanças e medir a superfície do planeta.

Open chat