Proteus não sai de casa!

Habitante de cavernas, essa espécie de salamandra pode ficar anos no mesmo lugar.

O ano de 2020 ficará na história como o ano em que o mundo parou por conta da pandemia causada pelo SARS-CoV-2, o “novo coronavírus”. Para frear a transmissão do vírus, foi preciso fechar as escolas e o comércio e ficar em casa de quarentena. Ai, que saudade dos amigos e de passear por aí!

Ter que ficar muito tempo em casa realmente pode ser bem chato para nós, humanos. Mas tem um bicho que tira isso de letra: o proteus. Parente dos sapos, rãs e pererecas, essa é uma espécie de salamandra. Só que, diferentemente da maioria das salamandras, o proteus passa a vida dentro da água, onde respira usando brânquias.

Os proteus são encontrados em alguns países da Europa, onde vivem em cavernas submersas. Seus olhos são pouco desenvolvidos, mas isso não é problema. Afinal, a escuridão é total nas cavernas e os outros sentidos dos proteus são muito eficazes, como o olfato, a audição, e capacidade de sentir as mais suaves vibrações na água.

O proteus (Proteus anguinus) é uma rara espécie de salamandra aquática que vive em cavernas escuras na Europa. Tem cerca de 30 centímetros de comprimento e pesa apenas 20 gramas – mas pode viver por um século!
Foto: Gregor Aljani
Os olhos do proteus são quase invisíveis. Mas repare as brânquias, que captam o oxigênio da água para que o proteus possa respirar.
Foto: Joachim Nerz

Estudar esses animais na natureza é difícil, porque é preciso usar equipamento de mergulho e as cavernas são longas e estreitas. Mas pesquisadores corajosos enfrentaram o desafio. Eles mergulharam em uma caverna e marcaram cada proteus adulto que encontraram com uma borrachinha colorida sob a pele da cauda, para identificação.

No total, marcaram 26 proteus. E, todos os anos, durante uma década, os pesquisadores mergulharam muitas vezes na caverna para acompanhar os animais. Ao final do estudo, descobriram que os proteus podem ficar em seus abrigos por muito tempo. Um deles ficou sete anos quietinho! Os outros companheiros de caverna, quando se mexiam, geralmente não passavam muito de uns cinco metros a cada ano.

Ainda não se sabe por que os proteus se movem tão pouco. Mas os especialistas desconfiam que pode ter relação com outros aspectos da sua biologia, como a capacidade de ficar sem se alimentar por muitos meses, o fato de terem filhotes apenas a cada 12 anos e conseguirem viver mais de 100 anos. Assim, os proteus vivem uma vida tranquila… Talvez até demais!


henrique-caldeira

Henrique Caldeira Costa,
Departamento de Zoologia
Universidade Federal de Juiz de Fora

Sou biólogo e muito curioso. Desde criança tenho interesse especial em pesquisar os seres vivos, especialmente o mundo animal. Vamos fazer descobertas incríveis aqui!

Matéria publicada em 20.10.2020

COMENTÁRIOS

  • Priscilla Bomfim

    Super legal! Adorei!

    Publicado em 24 de outubro de 2020 Responder

  • Ana Maria Costa Soares

    Parabéns, Henrique!
    São ótimas estas informações !
    Sempre ensinando as crianças e os adultos!

    Publicado em 24 de outubro de 2020 Responder

  • Júlia Rabello

    super legal o artigo

    Publicado em 26 de outubro de 2020 Responder

  • Júlia Rabello

    Eu tb quero ser bióloga

    Publicado em 26 de outubro de 2020 Responder

    • ANA LUIZA

      amo muito o trabalho de bióloga mas quero ser bailarina
      ju é vc

      Publicado em 26 de outubro de 2020 Responder

  • ANA LUIZA

    amo muito o trabalho de bióloga mas quero ser bailarina

    Publicado em 26 de outubro de 2020 Responder

  • davi martins bahia

    Belo Horizonte, 10 de novembro de 2020.

    Olá, Henrique!

    Adorei seu texto. Achei muito explicativo e lustrado. O proteus é um animal muito estranho. Na primeira foto eu achei que ele não tinha olhos e nem boca.

    Muito obrigado por compartilhar sua pesquisa.

    Davi Martins Bahia. Aluno do 3º ano A. Escola Estadual Helena Pena. Belo Horizonte/MG.

    Publicado em 10 de novembro de 2020 Responder

    • Iara Castro Resende

      verdade! concordo com você Davi!

      Publicado em 23 de novembro de 2020 Responder

  • Beatriz

    Muito legal! Não sabia que esse animal existia. Legal o fato dele não ter olho!
    Adorei de paixão!!🌈💝🐼🥰😘
    Beatriz 4º ano Colégio Augustus Sabará/MG

    Publicado em 16 de novembro de 2020 Responder

    • Professora Naiara – 4° ano

      Bia, imagina você ficar paradinha no mesmo lugar durante anos?
      Como o mundo animal é cheio de surpresas não é mesmo? Aprendi com você e o site CHC sobre um animal que não conhecia.
      Parabéns, minha linda.
      Beijocas mil.
      Tia Naiara

      Publicado em 25 de novembro de 2020 Responder

  • Iara Castro Resende

    Amei muito legal!

    Publicado em 23 de novembro de 2020 Responder

  • Érica

    Muito obrigada Henrique, Parabéns pelo trabalho!

    Publicado em 24 de novembro de 2020 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Cateretê

Dança tradicional (domínio público)

Bala que se transforma

A ciência costuma dar nomes engraçados para as coisas. Na mistura de água com açúcar, o açúcar é chamado soluto e a água, solvente.