Petrópolis, lugar de história e tecnologia

Conhecida como Cidade Imperial, a região guarda a memória dos tempos do Imperador, mas tem o “pé” no futuro!

Palácio Imperial: a casa de veraneio de D.Pedro II.
Foto Filipo Tardim/Wikipédia

Localizada na região serrana do Rio de Janeiro, Petrópolis (cujo nome significa ‘cidade de Pedro’) era o destino de verão da Família Real. Mas antes do título de cidade imperial – até mesmo antes de considerado uma cidade –, o lugar já demonstrava sua importância histórica: era rota de passagem de viajantes e tropeiros (condutores de tropas de cavalos) no Caminho Novo da Estrada Real, que ligava o Rio de Janeiro a Minas Gerais.

 

Para fugir do calor

Foi o clima de montanha, bem mais fresquinho que o da cidade do Rio de Janeiro, que chamou a atenção de D. Pedro I. Durante o ano de 1822, o imperador realizou uma série de viagens pela região e ficou encantado com a exuberante floresta de Mata Atlântica. Comprou a Fazenda Córrego Seco com o sonho de ali construir o Palácio da Concórdia. Não realizou. Retornou para Portugal, deixando a fazenda como herança para seu filho Pedro, que viria ser o segundo Imperador do Brasil.

Priscila Henriques Lima
Programa de Pós-graduação em História
Universidade do Estado do Rio de Janeiro

 

 

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

CONTEÚDO RELACIONADO

Floresta azul?

Debaixo d’água existe uma floresta tão importante quanto às que temos em terra firme!

Um urso pelo Brasil

Ele dominou as Américas, mas desapareceu misteriosamente

Open chat