O caipora

Lenda indígena

Ilustração Daniel Bueno

Caipora, em tupi, quer dizer ‘habitante do mato’. Reza a lenda que essa criatura protege as plantas, os animais, os rios e as cachoeiras, aparecendo sempre muito depressa para assustar qualquer estranho.

Dizem que o caipora é pequeno, cabeludo, tem a pele vermelha e um olho só. Não parece alguém que a gente tenha muita vontade de encontrar. Mas Cauê encontrou.

Cauê era um jovem indígena, um tanto rebelde, que resolveu fugir de sua aldeia para se isolar no mato. Passou a viver distante dos outros índios, longe do aprendizado de sua tribo e começou a fazer coisas erradas. Arrancava folhas, desperdiçava comida, arremessava pedras e mais pedras no rio…

Não demorou para que o caipora farejasse aquela desordem na mata. Montado em seu porco selvagem, saiu para ver o que estava acontecendo. Galopou em alta velocidade, abrindo espaço entre veados, coelhos, capivaras e outros bichos. Sentindo a presença de Cauê, os cabelos do caipora se balançaram. O índio ficou apavorado com o vento, pressentindo a proximidade do protetor da mata. Assustado, voltou correndo para a aldeia e prometeu nunca mais se afastar da sua gente.

 

*Lenda de origem indígena livremente adaptada pela CHC.

Matéria publicada em 01.04.2020

COMENTÁRIOS

  • Ana Luiza Fernandes de Aragão

    Eu amei essa história e muito legal

    Publicado em 27 de Maio de 2020 Responder

  • Ana Luiza Fernandes de Aragão

    Eu gostei muito e super legal

    Publicado em 27 de Maio de 2020 Responder

  • Ana Luiza Fernandes de Aragão

    Eu gostei muito

    Publicado em 27 de Maio de 2020 Responder

  • Bento SP e Heitor SP

    é muito muito muito legal, amei essa lenda

    Publicado em 10 de junho de 2020 Responder

  • Hadassa

    Amei a estória

    Publicado em 25 de junho de 2020 Responder

  • nicolas ferrari dos santos borges

    eu gostei da lenda muito interessante .

    Publicado em 25 de junho de 2020 Responder

  • João Gabriel Dequeche Ferreira de Melo

    eu amei a historia

    Publicado em 29 de junho de 2020 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Cateretê

Dança tradicional (domínio público)

Bala que se transforma

A ciência costuma dar nomes engraçados para as coisas. Na mistura de água com açúcar, o açúcar é chamado soluto e a água, solvente.