Menino brilhante

Um dos maiores nomes da literatura brasileira, Lima Barreto morreu sem ver o sucesso de seus livros.

Afonso Henriques de Lima Barreto foi um menino muito inteligente que se tornaria, no futuro, um escritor brilhante. Mas, no Rio de Janeiro de 1881, um negro de origem humilde não tinha tanta expressão assim. Apesar de seu brilhantismo, ele morreu sem fama, mas deixou uma obra literária importante para o Brasil, livros que ficaram famosos depois de sua morte.

Lima Barreto é autor de muitos romances, contos e crônicas. Sua mãe era professora, mas morreu muito cedo, quando o pequeno Afonso tinha apenas seis anos. Quando tinha sete, seu  pai, que era tipógrafo – profissional especializado na organização das letras para imprimir jornais, revista e livros – o levou para assistir aos festejos da abolição da escravidão. A Lei Áurea havia sido assinada no dia do seu aniversário, 13 de maio de 1888. Presenciar esse acontecimento marcaria para sempre a vida e a obra de Lima Barreto.

 


roberta

Robertha Triches
Professora do Departamento de História do Colégio Pedro II
Doutora pela Universidade Federal Fluminense

Sou professora de História e adoro falar sobre as personalidades que marcaram o Brasil de outras épocas!

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

CONTEÚDO RELACIONADO

A árvore sagrada da Amazônia

Se você pudesse fazer um pedido para 2020, o que pediria? Uma vacina para prevenir a covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus? Pode apostar que esse é o sonho de muita gente pelo mundo todo. E é também o desafio de muitos cientistas! Que tal conhecer um pouco da história das vacinas e descobrir como são produzidas?