Mamãe anel

Você sabia que os anéis de Saturno podem gerar novas luas para o planeta?

Imagem Wikipédia

Junte seus amigos! A tarefa hoje é desenhar planetas! Aposto que, ao final, alguns de vocês terão desenhado pelo menos um dos planetas com anéis. Claro, se falamos de planetas com anéis, lembramos imediatamente de… Saturno! Afinal, ele tem os anéis mais famosos do Sistema Solar. E não é à toa. De fato, os anéis são imensos: sua extensão, digo, seu diâmetro, é quase do tamanho da distância da Terra à Lua. Mas, além dos anéis, Saturno tem muitos satélites naturais. Não é como a Terra que só tem um, a Lua. De onde será que vêm os satélites de Saturno?

Uma das formas de um planeta conseguir ter satélites é “capturá-los”. Capturar satélites?! Sim! Corpos que, até então, vagavam ao redor do Sol, foram atraídos para a órbita do planeta e passaram a ser suas Luas. Saturno possui o segundo maior satélite do Sistema Solar: Titã (aliás, este assunto merece uma coluna porque Titã é um mundo à parte: tem nuvens, lagos… de metano… e outras curiosidades). Titã tem toda a pinta de ser um corpo capturado porque tem uma atividade diferente das dos outros satélites de Saturno: ele roda no sentido contrário ao qual o planeta roda sobre si, no qual rodam todos os outros anéis e todos os outros satélites que existem em sua órbita.

Saturno tem também, entre outras Luas, um pequeno satélite (localizado entre o planeta e Titã) chamado Encélado, que emite água quente em meio ao gelo do planeta. Os cientistas descobriram que essa água está formando um anel bem fininho ao redor de Saturno. Então, será que todos os anéis foram criados por essa Lua pequenina? Não! Encélado não podia jorrar água para o espaço desde a formação do planeta porque não era possível existir tanta água ali. Na verdade, os cientistas que estudam outros satélites entre Saturno e Titã concluíram que da mesma forma que a Lua está se afastando da Terra, as “Luas” de Saturno também estão se afastando dele. Mas se esses satélites tivessem se formado junto com o planeta, deveriam estar muito mais distantes…

Foi então que veio a ideia: e se esses satélites se formaram há menos tempo, vindos de outro corpo celeste já existente no planeta? É isso aí! Todos os satélites entre Titã e Saturno se formaram, na verdade, a partir dos anéis do planeta, um depois do outro. Os cientistas fizeram os cálculos de novo e as órbitas davam certo! Mais ainda: existem dois novos corpos que estão sendo gestados (como bebês nas barrigas das mães!) nos anéis. Dessa forma, os anéis fazem parte de um sistema ativo de geração de novos corpos celestes. Fascinante, hein?!


Jaime Fernando Villas da Rocha,
Departamento de Física,
Instituto de Biociências,
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Sou astrônomo e, claro, um apaixonado pelos astros – a começar pelo planeta em que vivemos. Este espaço fala de como vemos o Espaço, incluindo a Terra.

Matéria publicada em 19.03.2019

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Concordo, agora estou com uma curiosidade, quantos satélites tem Saturno?

    Publicado em 9 de abril de 2019 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Tem pássaro e avião na rota de colisão!

Quando um crime acontece, é preciso fazer uma investigação para desvendá-lo. Existe uma especialidade chamada antropologia forense. As pistas seguidas por esses especialistas vêm de... ossos! Sim, os esqueletos também falam e ajudam a desvendar mistérios.

O som da natureza

Quando um crime acontece, é preciso fazer uma investigação para desvendá-lo. Existe uma especialidade chamada antropologia forense. As pistas seguidas por esses especialistas vêm de... ossos! Sim, os esqueletos também falam e ajudam a desvendar mistérios.