Loucos por ciência

Quando várias pessoas gostam muito do mesmo assunto e se reúnem para colocar em prática essa paixão, surge o que chamamos clube. Assim, os que amam futebol se reúnem para criar um clube de futebol. Quem adora cinema, um cineclube. E os loucos por ciência? Será que se reúnem para criar clubes de ciências? Mas é claro! Agora, o que se faz em um clube assim?

Ilustração Jaca

 

Um clube de ciências nasce do interesse (da paixão mesmo!) de algumas pessoas por atividades científicas. Logo, é um espaço onde todos podem falar,conversar, trocar ideias e debater sobre tudo o que diz respeito à ciência.Além disso, o clube estimula o trabalho em equipe – o que é muito importante para o crescimento das pessoas como cidadãs, e para toda a sociedade.

No Brasil, onde grande parte da população tem pouco (ou nenhum) conhecimento sobre os resultados do trabalho dos cientistas, os clubes de ciência são muito importantes, porque podem aproximar as pessoas do contato com a ciência, do entusiasmo que está por trás de experimentar ou testar uma ideia.

 

E o que se faz lá?

As atividades de um clube de ciências são normalmente bem variadas. As pessoas podem se reunir, por exemplo, para ler e interpretar um texto científico ou para assistir a um filme que tenha ciência no roteiro – como diversos filmes de super-heróis. O programa também pode ser discutir a encenação de uma peça de teatro ligada à ciência,observar o céu, além de várias outras atividades. A frequência e a forma de se reunir são combinadas entre os próprios integrantes do clube.

Mas a paixão por ciência não basta. Para que o clube possa ser considerado sério e as discussões sejam de qualidade, a presença de um especialista nos encontros é muito importante. Que especialista? Professores, pesquisadores, cientistas que tenha disponibilidade de ajudar na organização do grupo.

 

Como tudo começou

Os clubes de ciência surgiram a partir da metade do século 20,dentro dos ambientes escolares. Os professores perceberam que, na escola, os alunos não tinham conhecimentos suficientes na área científica. Em outras palavras, as escolas não conseguiam formar pessoas que entendessem o verdadeiro sentido da ciência. Mas, por quê?

Talvez porque fossem necessárias mais aulas de ciências. Talvez porque os professores devessem ter mais liberdade para organizar as aulas de acordo com os interesses de seus alunos e assim despertar mais a atenção deles para o modo de fazer ciência. O fato é que da forma como a ciência era ensinada nas escolas, poucos aprendiam o mínimo que deveriam.

Por conta disso, a criação de clubes de ciência foi uma aposta de várias escolas. Fora do horário das aulas, era possível realizar debates e trabalhar diferentes temas que reforçariam o conhecimento científico dos estudantes. E parece que essa aposta deu certo! Diferentes estudos mostram que jovens envolvidos, de verdade, em clubes de ciência melhoram seu rendimento escolar.

 

E fora da escola?

Os clubes de ciência podem (e devem) ser criados independentes da escola também. Pode ser numa associação de moradores, dentro de um clube social, ou até mesmo na casa de um dos clubistas. O que importa é se encontrar e discutir ciência, fazer com que as pessoas percebam que ela (a ciência!) está presente em nosso dia a dia. Basta termos um olhar mais atento para perceber.

Hoje existem muitos clubes de ciências no Brasil. A Rede Internacional de Clubes de Ciências (https://www.clubesdeciencias.com), criada por um grupo de professores da Universidade Regional de Blumenau, no estado de Santa Catarina, é uma delas!Segundo os próprios criadores, a rede surgiu“para produzir e compartilhar práticas inovadoras de ensino e pesquisa em contextos de Educação Científica na América Latina”. Em outras palavras: ela existe para divulgar o ensino de ciências em todo o Brasil.

Sabia que há mais de 40 clubes de ciências registrados em todo o país? Pois é! Eles estão espalhados em diferentes estados. Será que tem um perto de você? Que tal conferir?

Clube de Ciências do CIEP 449 Brasil-França
Clubes de Ciências Brasil
Clubes de Ciências Brasil.
Fotos cedidas pelo autor

Encontro de clubes

Em 2017 chegou ao Brasil o evento Clubes de Ciência Latin America. Ele foi realizado em Belo Horizonte na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), durante as férias escolares de julho. Foi uma semana inteira de atividades científicas. Foi tão legal que esse ano terá de novo, em algum outro lugar do país. Você não vai perder, né? Acompanhe as novidades na página: https://www.clubesdeciencia.com.br

Futuro cientista

Pensando no futuro, é importante investir mais e mais na criação dos clubes de ciências. Com eles, podemos alcançar vários objetivos, como relacionar as atividades dia a dia com a ciência, fazer experimentos, questionar e desenvolver conhecimentos na prática.

Somente com conhecimento as pessoas são capazes de reconhecer seus direitos e deveres, de tomar atitudes para transformar sua realidade e, consequentemente, melhorar a própria vida e a de suas comunidades.

Por isso, se está pensando agora mesmo em criar um clube de ciências, não deixe essa vontade escapar!Lembre-se, há ciência em tudo a sua volta!

 

Alberto Lazzaroni,

Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro,
CIEP 449 Intercultural Brasil-França.

Na sua escola já existe um clube de ciências? Conte para a gente como é. Se não tem e você quiser mais informações, clique aqui. Será um prazer ajudar!

Matéria publicada em 12.02.2019

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Achei o texto muito interessante!

    Publicado em 27 de abril de 2019 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Como nasceram todas as histórias

No início da criação do mundo, as histórias ficavam todas em um baú, aos cuidados de Nyame. Então Ananse, uma criatura metade homem e metade aranha, resolveu ir ao céu buscar histórias para contar.

Fala Aqui!

Este é o espaço para você falar com a CHC! Pergunta que a gente responde!