Jardineiras da floresta

As antas plantam árvores e podem ajudar no reflorestamento, fazendo… cocô!

Quando uma área perde sua vegetação nativa, deixa de existir ali não só uma grande variedade de plantas, mas também de animais, fungos e micro-organismos. Dizemos, então, que a biodiversidade diminuiu. Uma plantação de soja, uma pastagem, ou um bairro cheio de ruas e casas têm muito menos biodiversidade do que as florestas, brejos e campos naturais que um dia existiram em seu lugar.

Proibir o desmatamento em determinadas áreas é uma das formas que países do mundo inteiro encontraram para garantir a conservação de parte da natureza e sua biodiversidade. Mas, não é a única. O reflorestamento usando espécies nativas (que existiam naturalmente naquela região) também é uma alternativa. Assim, com o passar dos anos, uma área degradada pode dar lugar, por exemplo, a uma bela floresta, como a Floresta da Tijuca, plantada mais de 150 anos atrás.

Na natureza, há animais que, sem saber, plantam árvores. Muitos deles comem frutos e engolem suas sementes inteiras, que depois são liberadas no meio das fezes. Ao caírem em um local com condições adequadas, as sementes podem germinar e novas plantinhas nascem! Várias espécies de aves e mamíferos, por exemplo, são “dispersores de sementes”, isto é, as espalham pelo seu habitat quando fazem cocô. Quanto maior o bicho, maiores as sementes que ele consegue dispersar. E, aqui no Brasil, nesse quesito ninguém ganha das antas!

As antas são os maiores mamíferos terrestres do nosso país, podendo medir até dois metros e meio de comprimento e pesar até 320 quilos.

Cocô de anta.
Foto: “Casa da Floresta ” casadafloresta.com.br

Elas podem ser encontradas em quase todo o Brasil, mas hoje são raras na maioria das regiões, pois já foram muito caçadas no passado e sua população diminuiu bastante. Não é à toa que estão ameaçadas de extinção.

De aparência curiosa, as antas (ou ‘tapira’, como são chamadas na língua indígena tupi) têm uma pequena tromba, mas seus “primos” mais próximos na árvore evolutiva não são os elefantes, e sim os rinocerontes e os equinos (cavalos, asnos e zebras).
Foto Sharp Photography / Wikimedia Commons.

As antas comem vegetais, incluindo muitos frutos – mais de 300 tipos diferentes já foram registrados como alimento delas. E uma pesquisa recente de cientistas brasileiros, feita na Amazônia, comprovou que esses animais podem ajudar no reflorestamento de áreas desmatadas! Os cientistas viram que as antas não caminham apenas dentro da mata. Quando existe alguma área degradada por perto, elas acabam andando por lá também, onde até preferem fazer suas “necessidades”. E, como o cocô das antas tem muita semente, onde antes não havia mato, no futuro pode existir uma floresta plantada por antas!


Henrique Caldeira Costa,
Departamento de Biologia Animal
Universidade Federal de Viçosa

Sou biólogo e muito curioso. Desde criança tenho interesse especial em pesquisar os seres vivos, especialmente o mundo animal. Vamos fazer descobertas incríveis aqui!

Matéria publicada em 29.05.2019

COMENTÁRIOS

  • LÚCIA

    GOSTARIA QUE VOCÊ ME ENVIASSE O CONCEITO DE BIODIVERSIDADE PARA CRIANÇAS DE 1º ANO.VOU COMEÇAR UM PROJETO AMANHÃ COM MEUS ALUNOS SOBRE ESSE ASSUNTO.OBRIGADA!

    Publicado em 25 de maio de 2020 Responder

    • ccostah

      Olá, Lúcia. Biodiversidade é, de forma resumida, a diversidade da vida no planeta. Animais, plantas, fungos, bactérias… enfim, todo o tipo de ser vivo.
      Um abraço,
      Henrique Costa

      Publicado em 18 de junho de 2020 Responder

  • Gisee

    Ainnnnn que matéria lindaaaa😻😻

    Publicado em 4 de junho de 2021 Responder

  • JENIFER EMANUELLE

    ESTOU PESQUISANDO SOBRE FLORESTA.

    Publicado em 19 de novembro de 2021 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Floresta azul?

Debaixo d’água existe uma floresta tão importante quanto às que temos em terra firme!

Um urso pelo Brasil

Ele dominou as Américas, mas desapareceu misteriosamente

Open chat