Hora do aquecimento

No mundo animal, existem diferentes formas de esquentar o corpo.

Talvez você já tenha visto na televisão ou na internet vídeos sobre as regiões polares do planeta. Poucos animais conseguem viver naquele frio danado, como os ursos polares (no polo norte), os pinguins (no polo sul), as focas, leões-marinhos e outros mamíferos aquáticos, incluindo as famosas orcas. Mas, lá não vemos nenhum lagartinho, cobra ou sapo. Por que será?

As aves e os mamíferos (incluindo nós, humanos) conseguem fazer algo muito especial. Nossos corpos transformam em calor a maior parte da energia que ingerimos na forma de comida. Por isso somos animais “endotérmicos”, ou seja, que se aquecem de “dentro para fora”. Mamíferos e aves que vivem em regiões muito frias sobrevivem por causa dessa produção de calor dentro do corpo. Com ajuda dos pelos ou das penas e de uma grossa camada de gordura abaixo da pele, que não lhes deixam perder calor, o corpo desses animais se mantém quentinho.

Os répteis, como lagartos, cobras e jacarés, além dos anfíbios (sapos, rãs, pererecas, salamandras e cecílias), a maioria dos peixes e os invertebrados, não produzem seu próprio calor. Então, como fazem para se aquecer? Esses animais dependem da temperatura do ambiente. São chamados de “ectotérmicos”, porque se aquecem “de fora para dentro”, com o calor do ambiente. Se o dia está quente, esses bichos costumam ficar ativos. Se está frio, eles se escondem em um abrigo – pode ser embaixo de rochas, no meio de troncos caídos ou até enterrados no chão. É por isso que é mais comum o encontro com anfíbios e répteis (além de insetos, aranhas ou lesmas) nos meses mais quentes do ano. No caso dos peixes e dos invertebrados marinhos, como as lulas, eles geralmente nadam para cima ou para baixo em busca de pontos onde a água esteja numa temperatura confortável. Muitas espécies também vivem em lugares onde a temperatura da água se mantém mais ou menos a mesma o ano todo.

Muitos lagartinhos se aquecem ao sol logo de manhã, para aproveitarem o resto do dia em busca de comida ou de um par.
Foto: Henrique C. Costa

Essas duas formas diferentes de aquecer o corpo têm vantagens e desvantagens. Por conseguirem produzir calor, alguns animais endotérmicos podem viver em lugares muito frios, como as regiões polares ou montanhas bem altas, coisa que os ectotérmicos não conseguem. Mas, como o corpo dos ectotérmicos não usa a energia dos alimentos para se aquecer, eles podem ficar mais tempo sem comer. Um rato, por exemplo, precisa comer todos os dias, mas um lagarto do mesmo tamanho talvez coma só uma vez por semana.

De dentro para fora ou de fora para dentro, cada um à sua maneira, os bichos dão um jeito de se aquecerem. Só não vale ficar com frio!


henrique-caldeira

Henrique Caldeira Costa,
Departamento de Zoologia
Universidade Federal de Juiz de Fora

Sou biólogo e muito curioso. Desde criança tenho interesse especial em pesquisar os seres vivos, especialmente o mundo animal. Vamos fazer descobertas incríveis aqui!

Matéria publicada em 15.04.2020

COMENTÁRIOS

  • Higor Bueno

    Muito bom!

    Publicado em 28 de setembro de 2020 Responder

  • Yuna

    Gostei mt

    Publicado em 3 de outubro de 2020 Responder

  • Yuna

    Gostei mt e bem legal

    Publicado em 3 de outubro de 2020 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Cateretê

Dança tradicional (domínio público)