Ferve o frevo
nas ladeiras
de Olinda.

Rodam, rodam
sombrinhas multicores.
Giram, giram
vermelhas, verdes,
azuis e amarelas.
Felizes girassóis.

Festival de sons
e cores.
Céu e sol
dançam,
descem
as ladeiras
de Olinda.

Ana Maria Galdino

Ilustração Galvão Bertazzi

Ana Maria Galdino nasceu em Valparaíso, São Paulo. É escritora premida, com livros publicados e obras destinadas a revistas também. O poema Frevo foi gentilmente cedido para a CHC. Para ler outros poemas da autora em nossas páginas, clique aqui!

Matéria publicada em 27.02.2019

COMENTÁRIOS

  • Anna Elise

    Que poema bonito!

    Publicado em 18 de Maio de 2019 Responder

  • Bento Sp e Heitor sp

    Muito muito muito muito legal esse poema e muito bonito eu li para o meu pai muito bonito

    Publicado em 20 de junho de 2020 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Cateretê

Dança tradicional (domínio público)

Bala que se transforma

A ciência costuma dar nomes engraçados para as coisas. Na mistura de água com açúcar, o açúcar é chamado soluto e a água, solvente.