Foto do perfil

Assim como os humanos, algumas vespas podem reconhecer os indivíduos da sua espécie pelo rosto! 

Você é bom em memorizar os rostos das pessoas? Ou é dos que fica perdido nas reuniões de família ou na hora de diferenciar uma tia de outra na foto do perfil das redes sociais? Bem, a maioria dos animais pode reconhecer facilmente os membros da sua própria espécie, mas poucos conseguem distinguir cada indivíduo. Esta habilidade pode ser especialmente útil em espécies que, como a nossa, vivem em grupos ou colônias.

Os insetos sociais – como abelhas, vespas, formigas e cupins – podem ser muito bons nesta tarefa. Cada indivíduo destes insetos consegue, por exemplo, reconhecer se um outro indivíduo pertence à sua própria colônia ou não. Este tipo de reconhecimento se baseia geralmente em pistas químicas, o que significa que os integrantes de cada colônia têm um cheiro característico, que pode ser facilmente identificado por indivíduos daquela espécie.

Para animais sociais, como as vespas, saber reconhecer os diferentes indivíduos da sua espécie pode fazer toda a diferença na hora de separar os inimigos dos colaboradores.
Foto David Baracchi/Wikimedia Commons

Mas algumas espécies de vespas vão além: são capazes de reconhecer cada indivíduo da sua colônia. E mais! Reconhecem não apenas o cheiro, mas também as “carinhas” umas das outras! Em outras palavras, essas vespas se baseiam na aparência não apenas para reconhecer quem são suas parentes, mas também para distinguir uma parente da outra. Não é demais?!

Através de experimentos supercuriosos, os cientistas descobriram que, para algumas espécies de vespas, a aparência dos indivíduos é mais importante que o cheiro. Quer dizer, não importa se uma vespa apresente o cheiro típico dos membros de uma determinada colônia, se ela tiver um rosto desconhecido será expulsa com violência. Um rosto familiar, ao contrário, tem mais chances de ser tolerado, mesmo que apresente um cheiro desconhecido.

Foto Brian Tomlinson/Flickr
FotoTim Evison/Wikimedia Commons   e   Foto JL Boyer/Wikimedia Commons
Foto Johan J.Ingles-Le Nobel/ Flickr
Olhando mais de pertinho dá para ver que as vespas de uma mesma espécie não são todas idênticas.

Ao olhar humano pode parecer que as vespas de uma mesma colônia são todas idênticas. Mas o cérebro de cada espécie funciona de modo diferente e o das vespas está programado para aprender a diferenciar pequenos detalhes que para nós são quase imperceptíveis. Talvez as vespas olhem para nós e pensem: “esses humanos são todos iguais!”.


vinicius

Vinícius São Pedro,
Centro de Ciências da Natureza,
Universidade Federal de São Carlos

Sou biólogo e, desde pequeno, apaixonado pela natureza. Um dos meus passatempos favoritos é observar animais, plantas e paisagens naturais.

Matéria publicada em 25.11.2020

COMENTÁRIOS

  • Júlia Aparecida do Nascimento Neves

    Muito interessante gostei muito da matéria

    Publicado em 29 de setembro de 2021 Responder

  • anna, ji e manu.

    olá chc gostamos muito da matéria, somos da escola e.m.e.f homera da silva braga, do 3º ano C

    Publicado em 22 de outubro de 2021 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Floresta azul?

Debaixo d’água existe uma floresta tão importante quanto às que temos em terra firme!

Um urso pelo Brasil

Ele dominou as Américas, mas desapareceu misteriosamente

Open chat