Etnoconhecimento: saberes que ultrapassam o tempo

Vivemos na era da informação. Basta acionarmos o controle remoto da TV, ligarmos o computador ou darmos dois cliques no celular que passamos a ter acesso aos mais diferentes conhecimentos. Tudo em sintonia com a tecnologia. Até para distrair ou relaxar, a gente se acostumou a usar a tecnologia. É videogame, série, novela… Tem sempre uma inovação tecnológica no meio da nossa diversão. Mas fazer o quê, né? O mundo inteiro está assim… Será mesmo?

Pelo mundo todo existem povos que podem até ter alguma conexão tecnológica, mas que consideram muito mais importante o aprendizado com a natureza e com os mais experientes. Esse conhecimento, que é passado de uma geração para outra, também pode ser compartilhado com pessoas de fora daquele grupo, seja desinteressadamente ou, por exemplo, com o propósito de conservar o ambiente em que vivemos.

Ilustração Bruna Assis Brasil

Etno vem do grego ethnos, que significa ‘identidade de um povo. Etnoconhecimento é um termo criado para dar conta de tudo aquilo que alguns povos têm e podem compartilhar, incluindo crenças, tradições, modo de fazer ou de produzir alguma coisa.

Etnoconhecimento se refere especialmente ao que os indígenas, os quilombolas, os pescadores e outras comunidades tradicionais ou locais e que buscam viver em sintonia com o ambiente e seus recursos naturais, têm a ensinar para quem está bem longe dessa realidade!

 

Marcela Eringe Mafort

Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais

Aníbal da Silva Cantalice

Universidade Federal do Piauí

Jean Carlos Miranda

Universidade Federal Fluminense

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

CONTEÚDO RELACIONADO

Histórias de uma coisa que todo mundo faz

Você pode estar em casa, na maior tranquilidade, quando bate a vontade. Pode também estar na escola e ficar meio com vergonha de saberem que foi você quem fez. Pode ainda estar na rua e ter de correr para achar um lugar onde possa fazer...

Nariz para fazer som!

Esse conhecimento, que é passado de uma geração para outra, também pode ser compartilhado com pessoas de fora daquele grupo, seja desinteressadamente ou, por exemplo, com o propósito de conservar o ambiente em que vivemos.