É caranguejo ou não é?

Olhando por cima, lembra um casco de cavalo. Visto por baixo, uma ferradura. Que bicho ele é?

Os oceanos são cheios de vida. E de bichos que nos parecem esquisitos e… maravilhosos! É o caso do caranguejo-ferradura. Já ouviu falar nele? Existem quatro espécies diferentes, que medem entre 40 e 80 centímetros de comprimento, incluindo a cauda. Todas vivem em pequenas áreas na costa leste da América do Norte e em algumas regiões litorâneas da Ásia e Oceania. Ou seja, infelizmente, não podemos encontrá-los nas praias brasileiras. Durante o inverno, os caranguejos-ferradura moram em águas mais profundas e não são vistos facilmente. Mas, na primavera, quando se reproduzem, eles migram para as águas rasas das praias.

Durante a primavera, muitos milhares de caranguejos-ferradura deixam as águas profundas em direção às praias para se reproduzirem.
Foto Wikipedia

A principal característica dos caranguejos-ferradura é sua carapaça. Vista por cima, ela lembra o casco de um cavalo, mas, por baixo, parece uma… ferradura! Só que esse bicho curioso, seja dita a verdade, não é um caranguejo! Examinando com cuidado o corpo desse animal e fazendo comparações com as características de outros seres, cientistas concluíram que eles são mais próximos das aranhas e escorpiões (quelicerados) do que dos caranguejos verdadeiros, lagostas e camarões (crustáceos). E análises modernas de DNA reforçam essa conclusão intrigante.

O caranguejo-ferradura visto por vários ângulos diferentes. Não é incrível?
Foto Wikipedia/CC BY-SA 2.5

Apesar do parentesco com aranhas e escorpiões e da presença de uma cauda que lembra um espinho, os caranguejos-ferradura não são peçonhentos, nem oferecem qualquer tipo de perigo para os humanos. Na realidade, eles ajudam a salvar vidas! O sangue deles – que é azul [saiba mais na CHC 298] – contém uma substância usada em laboratórios para testar se equipamentos médicos, remédios ou vacinas estão contaminados por algum tipo de bactéria, o que poderia nos fazer mal. Para fazer os testes, milhares de caranguejos-ferradura são capturados todos os anos para uma “doação de sangue”, e depois são devolvidos à natureza. Mas, para evitar esse trabalhão todo, vários cientistas têm feito pesquisas para desenvolver uma substância artificial que possa ser usada no lugar do sangue desse nobre animal. Tomara que consigam, não é?


Henrique Caldeira Costa,
Departamento de Biologia Animal
Universidade Federal de Viçosa

Sou biólogo e muito curioso. Desde criança tenho interesse especial em pesquisar os seres vivos, especialmente o mundo animal. Vamos fazer descobertas incríveis aqui!

Matéria publicada em 26.07.2019

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Histórias de uma coisa que todo mundo faz

Você pode estar em casa, na maior tranquilidade, quando bate a vontade. Pode também estar na escola e ficar meio com vergonha de saberem que foi você quem fez. Pode ainda estar na rua e ter de correr para achar um lugar onde possa fazer...

Nariz para fazer som!

Esse conhecimento, que é passado de uma geração para outra, também pode ser compartilhado com pessoas de fora daquele grupo, seja desinteressadamente ou, por exemplo, com o propósito de conservar o ambiente em que vivemos.