xz

Ilustração Luci Sacoleira

Bamam era um grande príncipe
filho do rei do país
andava pela montanha
à caça de javalis
tigres e leopardos
melros, pardais e perdiz.

 

O príncipe não atinava
por onde havia de sair
e ali naquela serra
era um perigo dormir
mas ele não acertava
por onde pudesse ir.

 

Já perto da meia-noite
ouviu rugir um leão
mas ele não se importou
nem bateu o coração
depois ouviu uma voz
entoando uma canção.

 

Naquela canção dizia
sou mais ditosa que a flor
nasci no ventre da serra
criei-me aqui com primor
pertenço ao reino das águas
não sinto frio nem calor.

 

A fada disse: pois bem
eu agora vou dormir
uns dez ou quinze minutos
tenho precisão de ir
falar ao deus do amor
você fique até eu vir.

 

Ali reclinou o corpo
sobre a relva adormeceu
e o leão se levantou
e a luz resplandeceu
um nevoeiro cobriu-a
ela desapareceu.

*A literatura de cordel é uma maneira de compor versos bem corridos, muito conhecida nas regiões Norte e Nordeste do país. Ganhou este nome porque os livretos, onde são escritas as rimas, ficam pendurados em cordas, como um varal de roupas, para quem quiser olhar e comprar. O cordel que você acaba de ler é de domínio público e de autoria desconhecida.

Fonte: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/jn000019.pdf

Matéria publicada em 15.03.2022

COMENTÁRIOS

  • Simone

    Bom dia,

    Solicito a gentileza de revisarem este assunto. INFORMAÇÃO CORRETA: O texto está sem estruturação de um Cordel (não é sextilha nem quadra e nem décima) e não conta história nenhuma. O Cordel NÃO É DOMÍNIO PÚBLICO e NÃO É FOLCLORE. Cordel TEM AUTORIA.

    Agradeço a atenção.

    Publicado em 5 de maio de 2022 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

Uma mulher do campo

Quem foi, ou melhor, quem é Elizabeth Altino Teixeira!

Open chat