Contra o racismo, menos ignorância e mais amor!

Dois meninos bem pequenos – quase bebês –, um negro e um branco, se veem de longe e correm sorrindo para se encontrar num abraço gostoso, transbordando felicidade e amor. Sim, essa é a cena de um vídeo que viralizou na internet. Você viu?

A legenda para esse vídeo poderia muito bem ser: “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar”. Quem afirmou isso foi o grande líder sul-africano Nelson Mandela. Juntos, vídeo e frase, me parecem uma boa forma de iniciar uma conversa sobre o racismo. Por que existe desigualdade entre seres humanos que têm a cor de sua pele diferente?

Ilustrações Edson Ikê

O racismo que atinge, principalmente, a população negra é uma criação recente na história da humanidade e é algo possível de ser ensinado e aprendido. Mas, vamos lá: o racismo não é algo natural. “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele…”, já dizia o Mandela, lembra? Nós aprendemos o que é o racismo em nosso dia a dia, até mesmo na escola. E tudo isso tem um começo…

Essa história começa com o que chamamos de “racismo moderno”, que tem a ver diretamente com o processo de conquista de povos europeus sobre outros povos. Se você pensa que estamos falando de história, do século 15, quando os europeus começaram navegar para descobrir novos territórios e matérias-primas – a famosa expansão marítima e comercial – acertou em cheio!

 

Amilcar Araujo Pereira

Gepear (Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Antirracista)
Universidade Federal do Rio de Janeiro

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Floresta azul?

Debaixo d’água existe uma floresta tão importante quanto às que temos em terra firme!

Um urso pelo Brasil

Ele dominou as Américas, mas desapareceu misteriosamente

Open chat