Caçadores de cocô (e outras sobras)

Restos de animais, fezes… Hummm… Quanto mais malcheiroso melhor! O que parece nojento para nós, aos olhos deles pode ser um banquete. Mas, argh!, quem pode desejar comer carcaças ou até mesmo… cocô?! Ora, você não sabe? Os besouros detritívoros! Por mais estranho que pareça esse cardápio, ele contêm proteínas, água e outros nutrientes indispensáveis à sobrevivência e reprodução desses insetos. Prepare seu estômago para conhecer uma turma de paladar bem curioso!

Foto Bernard Dupont/Wikimedia Commons

Alguns besouros se alimentam de matéria orgânica em decomposição – como fezes, carcaças, restos de madeira, frutos podres… Em resumo, eles comem restos, detritos, por isso são chamados detritívoros. Por mais nojento que possa parecer, cada ser vivo tem um papel na natureza.

Comendo o que é considerado lixo, os animais detritívoros “dão uma mãozinha” para o meio ambiente. Veja alguns exemplos: os restos de animais que devoram viram nutrientes em suas fezes, que ajudam na fertilização do solo; quando se alimentam de fezes diretamente, eles podem destruir ovos de alguns parasitas e vetores de doenças presentes nelas.

 

Luisa Mendonça Gregório
Departamento de Agronomia
Universidade Federal de Viçosa

Verônica Saraiva Fialho
Departamento de Entomologia
Universidade Federal de Viçosa

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje das Crianças

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Chá de sumiço

Há tempo para salvar as demais espécies, que têm tanto direito ao planeta quanto nós? Eis a questão!

Como o urso polar se protege do frio?

Com um experimento simples, podemos descobrir como alguns animais – como o urso polar! –, que vivem em temperaturas congelantes, se protegem do frio. Brrrr!!!