Biscoito ou bolacha?

Biscoito ou bolacha?

Férias de verão! Semanas de descanso e diversão com a família e os amigos. Nesta época, muita gente aproveita para curtir os dias de sol na praia. Beber água de coco, tomar sorvete, nadar no mar, brincar na areia… que delícia! Mas, que coisa esquisita é essa na areia, trazida pelas ondas? Parece um biscoito. Ou seria uma bolacha?

A bolacha-da-praia, também conhecida como bolacha-do-mar, biscoito-do-mar ou biscoito-da-praia – escolha o seu nome preferido – é, na verdade, um animal. Mais especificamente, é um equinodermo, ou seja, pertence ao mesmo grupo das estrelas-do-mar, dos pepinos-do-mar e dos ouriços-do-mar. As bolachas-da-praia têm o corpo achatado (daí o seu nome popular), com um rígido esqueleto interno chamado ‘testa’.

Uma bolacha-da-praia viva, na areia. Os cientistas já catalogaram cerca de mil espécies de bolachas-da-praia e ouriços-do-mar, seus parentes mais próximos, vivendo nos mares do planeta.
Foto John Tracy/Wikipédia

Sempre em contato com o fundo do mar, onde costumam se enterrar, elas têm um monte de espinhos bem pequeninos cobrindo o corpo, que funcionam como pés. Na parte de baixo da bolacha-da-praia, algumas fileiras de espinhos se movem como se fossem dedinhos para levar partículas minúsculas de alimento até a boca, que fica bem no meio do corpo.

Na parte de cima é possível ver alguns pontinhos que lembram o desenho de uma flor, por onde saem estruturas usadas na respiração, como se fossem vários narizinhos. Em algumas bolachas-da-praia podemos notar também alguns buracos grandes, que atravessam o corpo de um lado ao outro, por onde a água passa, ajudando o bichinho a se manter na posição correta.

As bolachas-da-praia são inofensivas. Então, se você encontrar alguma na areia, não tenha medo. Aproveite para olhar com atenção esse curioso animal antes de ajudá-lo a voltar para o mar.

Quando morrem, as bolachas-da-praia ficam esbranquiçadas, pois resta apenas seu esqueleto, como este da foto. Repare nos buracos grandes (lúnulas) por onde a água passa, ajudando a bolacha a se manter na posição correta no fundo do mar; e nos buraquinhos que lembram uma flor (petaloides), por onde a bolacha-da-praia viva respira.
Foto: Edward Babinski / Wikipedia

henrique-caldeira

Henrique Caldeira Costa,
Departamento de Zoologia
Universidade Federal de Juiz de Fora

Sou biólogo e muito curioso. Desde criança tenho interesse especial em pesquisar os seres vivos, especialmente o mundo animal. Vamos fazer descobertas incríveis aqui!

Matéria publicada em 03.02.2020

COMENTÁRIOS

  • Francisco

    Eu gostei muito desta matéria!!!

    Publicado em 27 de julho de 2020 Responder

  • TIAGO PRADO SILVA

    EU ACHEI MUITO INTERESSANTE. EU NÃO CONHECIA ESSE TIPO DE ANIMAL.

    Publicado em 28 de julho de 2020 Responder

  • TIAGO PRADO SILVA

    EU NÃO CONHECIA ESSE TIPO DE ANIMAL..
    ACHEI MUITO INTERESSANTE!

    Publicado em 28 de julho de 2020 Responder

Envie um comentário

CONTEÚDO RELACIONADO

O misterioso peixe do São Francisco

Nas águas desse rio nada um peixe que é a cara do tamanduá!

O dia em que a cidade ficou verde

Conservar áreas verdes nas cidades é tudo de bom!

Open chat