A anêmona e o ermitão

Parceiros no fundo do mar, alguns animais vivem em harmonia e colaboram uns com os outros

Vira e mexe precisamos da ajuda de alguém para resolver um problema, não é verdade? No mundo animal, muitas espécies vivem em grupos, nos quais os indivíduos colaboram uns com os outros. Mas você sabia que existem animais de espécies diferentes que se ajudam? É o caso dos caranguejos-ermitões e as anêmonas-do-mar. Já ouviu falar neles?

Há no mundo mais de 800 espécies de caranguejos-ermitões, também conhecidos como caranguejos-eremitas ou paguros. Aproximadamente 60 espécies diferentes desses caranguejos vivem no litoral brasileiro.

A porção final do corpo dos caranguejos-ermitões, o abdômen, não é protegido por uma casca natural, o exoesqueleto, como nos outros caranguejos. Por causa disso, eles precisam ir atrás de uma armadura para não virarem almoço de um predador marinho, como os polvos!

A solução encontrada pelos caranguejos-ermitões não poderia ser melhor: eles procuram, cuidadosamente, conchas de moluscos vazias no fundo do oceano. Experimentam conchas assim como a gente experimenta um calçado novo, até encontrarem aquela do tamanho ideal, que lhes servirá de proteção! À medida que crescem, esses caranguejos abandonam a concha antiga e partem em busca de uma nova, maior.

Às vezes, os caranguejos-ermitões fazem melhorias na armadura, com uma proteção extra de anêmonas-do-mar. As anêmonas-do-mar são animais evolutivamente próximos às águas-vivas e os corais, e as mais de mil espécies já encontradas vivem em águas costeiras de todo o mundo, principalmente em regiões mais quentes. Seu corpo é cilíndrico, com uma coroa de tentáculos venenosos em volta da boca. Os tentáculos capturam peixes e outros bichos, que servem de alimento à anêmona.

Esses dois caranguejos-ermitões estão “vestindo” uma concha vazia de molusco, mas um deles colocou anêmonas-do-mar sobre a concha.
Fotos Yulia Kolosova / Wikimedia Commons | Mathieu Stewart / Flickr / CC BY-NC-SA 2.0
A larva das anêmonas-do-mar é capaz de nadar, mas as anêmonas adultas costumam ficar paradas sobre a areia do fundo do mar, ou em rochas.
Fotos: Cifonauta / CC BY-NC-SA 3.0

Os caranguejos-ermitões, quando encontram uma anêmona-do-mar, conseguem pegá-la e colocá-la sobre a concha que ele está usando. Para o caranguejo, os tentáculos venenosos da anêmona são uma proteção extra contra predadores. Já a anêmona-do-mar é beneficiada pela “carona” do caranguejo, que pode lhe ajudar a conseguir alimento mais facilmente. Essa colaboração mútua entre espécies é chamada pelos cientistas de mutualismo, uma história na qual todo mundo sai ganhando!


henrique-caldeira

Henrique Caldeira Costa,
Departamento de Zoologia
Universidade Federal de Juiz de Fora

Sou biólogo e muito curioso. Desde criança tenho interesse em pesquisar os seres vivos, especialmente o mundo animal. Vamos fazer descobertas incríveis aqui!

Matéria publicada em 28.07.2021

COMENTÁRIOS

  • Sofia cardoso clemente

    Muito enteresante

    Publicado em 29 de julho de 2021 Responder

  • Professora Ingrid e alunos do 3o ano B

    Adorei a reportagem! Parabéns!
    Meus alunos do Colégio Salesiano São José de Sorocaba estão curtindo a revista.

    Publicado em 2 de agosto de 2021 Responder

    • Esther

      A anêmona eo ermitão: muito boa e me interessei muito sobre a matéria. Muito bom

      Publicado em 2 de agosto de 2021 Responder

      • Otako raiz

        Achei ótimo

        Publicado em 12 de agosto de 2021

      • BRUNO GABRIEL

        ´NÃO É

        Publicado em 13 de agosto de 2021

  • Esther

    A anêomona e o ermitão

    Publicado em 2 de agosto de 2021 Responder

  • I don’t have a name

    N gostei mto nao
    I didn’t like it very much not
    No me gustó mucho
    我不是很喜歡

    Publicado em 4 de agosto de 2021 Responder

  • I don’t have a name

    I didn’t like it Much Brazil you have to improve in

    Publicado em 4 de agosto de 2021 Responder

  • gabrielly

    adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    Publicado em 4 de agosto de 2021 Responder

  • Professora Halethea Diniz

    Nós, do 3º ano B, Escola Liceu Francano de Ensino, Franca – SP, adoramos todo o conteúdo.

    Publicado em 5 de agosto de 2021 Responder

  • Vitor Teixeira

    Prezado escritor,
    Gostei muito do texto “A anêmona e o ermitão”. É muito interessante e instrutivo compreender a colaboração entre as espécies na natureza. Parabéns pela publicação.
    Atenciosamente,
    Vitor Teixeira
    Colégio Teleyos – 3º ano D

    Publicado em 7 de agosto de 2021 Responder

  • Bruno

    Muito legal, interessante e daora a notícia obg Henrique Caldeira Costa

    Publicado em 9 de agosto de 2021 Responder

  • BRUNO GABRIEL

    QUE DEMAIS.
    QUANDO EU CRESSER EU VOU SER UM BIOLOGO

    Publicado em 13 de agosto de 2021 Responder

  • Clara

    Ola chc eu aforeri as matérias irem compartilhar com meus amigos

    Publicado em 16 de agosto de 2021 Responder

  • Augusto

    Presado escritor, Gostei muito de ler a Anêmona e o Ermitão, A pesar de sabermos o que é ecosistema [comunidade mais meio ambiente], Chega a ser motivo de inspiração de comportamentos para nos seres humanos que vivemos em sociedade, ouvimos sempre as mesmas coisas sobre pessoas que são engajadas em diferentes temas, Sei que é importante mais não vemos mudança, Com essa leitura você ver a mudança, atraves do comportamento.

    Augusto Jezierski
    E.M.E.F – Noé Azevedo – 5 C

    Publicado em 17 de agosto de 2021 Responder

  • Augusto Jezierski

    Presado escritor, Gostei muito de ler a Anêmona e o Ermitão, A pesar de sabermos o que é ecosistema [comunidade mais meio ambiente], Chega a ser motivo de inspiração de comportamentos para nos seres humanos que vivemos em sociedade, ouvimos sempre as mesmas coisas sobre pessoas que são engajadas em diferentes temas, Sei que é importante mais não vemos mudança, Com essa leitura você ver a mudança, atraves do comportamento.

    Augusto Jezierski
    E.M.E.F – Noé Azevedo – 5 C

    Publicado em 17 de agosto de 2021 Responder

  • Glauciene Caetano de Oliveira Melo

    Anicuns, 19 de agosto de 2021.
    Caro Henrique Caldeira,
    Nós, os alunos do 6º ano A da Escola Estadual Professor Alfredo Nasser, gostamos muito da sua matéria. É muito importante ver como animais de espécies diferentes se juntam em busca de uma vida melhor. Os seres humanos precisam aprender com eles. E com certeza parar de destruir a natureza.
    Um abraço!
    Alunos e professora do 6º ano A da Escola Alfredo Nasser.

    Publicado em 19 de agosto de 2021 Responder

  • Professora Maria Fernanda Calegare Sant’Anna 3º ano C

    Parabéns pela reportagem, nós do 3º ano C do colégio Salesiano São José da cidade de Sorocaba gostamos muito e achamos muito interessante a reportagem sobre “A Anêmona e o ermitão”.
    Queremos saber mais sobre os animais do fundo do mar.
    Obrigada! Abraços turma do 3ºano C ….Até mais!

    Publicado em 19 de agosto de 2021 Responder

  • Glauciene Caetano de Oliveira Melo e alunos do 6º B

    Anicuns, 19 de agosto de 2021.
    Caro Henrique Caldeira Costa,
    Nós do 6º ano B da Escola Estadual Professor Alfredo Nasser, gostamos muito da reportagem sobre “A anêmona e o ermitão”. Foi muito legal saber que animais marinhos podem fazer parceria em busca de alimento e proteção. Gostariamos de mais informações sobre esse assunto.
    Um grande abraço de toda a turma do 6º B!
    Davi Henrique, Naiara, Anna Mel, Gabrielle, Henrique, Valentinna, Isabelle, Flávio Augusto, Talisson e Kauan Victor.

    Publicado em 19 de agosto de 2021 Responder

  • Maria Angélica Pereira de Souza

    Adorei a matéria

    Publicado em 23 de agosto de 2021 Responder

Envie um comentário

admin

CONTEÚDO RELACIONADO

Hospedagem animal

Pássaros espertos usam girafas, búfalos e outros mamíferos para se alimentar e descansar

Sólido ou líquido

Já reparou na consistência da espuma de barbear? Você diria que ela é sólida ou líquida? Vamos brincar com essa ideia!

Open chat