Animal do mar, doença da terra

Às vezes as doenças passam de uma pessoa para outra, de um animal para outro e até de uma espécie para outra. Isso não é nenhuma novidade. Mas você sabia que doenças encontradas em animais domésticos, como cães e gatos, podem ameaçar a saúde de bichos que vivem no oceano? Deixe-me explicar essa história…

Gato

Gatos domésticos, cães e até humanos podem transmitir parasitas nocivos à saúde de animais marinhos pelas suas fezes (Foto: Dimitris Siskopoulos / Flickr / CC BY-SA 2.0)

Um grupo de pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, investigou casos de morte de lontras marinhas e descobriu que a causa foi a infecção por protozoários da espécie Sarcocystis neurona, presente no intestino e músculos de gatos domésticos.

Embora não cause grandes danos em nossos amigos felinos, o microrganismo foi fatal para as lontras marinhas. “Talvez isso tenha acontecido porque o sistema imunológico desses animais ainda não é capaz de reconhecer e combater adequadamente esses parasitas”, explica o biólogo Salvatore Siciliano, da Fundação Oswaldo Cruz.

Lontra marinha

Lontras marinhas e golfinhos estão entre as vítimas de infecção por vírus, bactérias e protozoários de espécies terrestres. Esses animais ainda não conseguem reconhecer e combater esses parasitas (Foto: Mike Baird / Flickr / CC BY 2.0)

Você deve estar se perguntando como é que um micróbio saiu do gato e foi parar lá nos bichos do oceano, acertei? Salvatore dá a resposta. “Os protozoários botam ovos que saem pelas fezes dos bichanos e são levados pela rede de esgoto até o mar”, conta. “Um animal contaminado despeja milhões de ovos no ambiente”.

Os parasitas podem sobreviver fora do corpo do hospedeiro original (o gato) durante semanas ou mesmo meses – eles são, surpreendentemente, muito resistentes ao calor e à salinidade da água. Então, quando descartamos fezes de animais contaminados no esgoto comum, elas seguem até o mar e, assim, acabam contaminando as águas e, claro, os animais que nela vivem. Isso vale não só para o Sarcocystis neurona, mas também para vários outros agentes causadores de doenças.

Felizmente, existem algumas coisas que você pode fazer para evitar que essa viagem dos micróbios prejudique a natureza. Para começar, mantenha seu bichinho de estimação sempre saudável, com acompanhamento veterinário. Não deixe que ele coma carne crua ou vegetais mal lavados, e nunca jogue suas fezes no vaso sanitário ou no ralo – melhor descartá-las em um saco de lixo identificado.

Matéria publicada em 07.05.2013

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Camille-Dornelles

Quando criança, gostava de fazer experimentos dentro de casa e explorar o mundo. Hoje, na CHC, me sinto brincando de cientista e trabalhando como jornalista ao mesmo tempo.

CONTEÚDO RELACIONADO

Um mergulho com os peixes

Acompanhe o final da aventura de Rex, Diná e Zíper e suas descobertas no fundo do mar.

Rex, Diná e Zíper em…

Um lanchinho para os peixes. É correto alimentar esses animais na natureza?

Open chat