Manual do observador de aves

Você adora ouvir o canto dos passarinhos de manhã? Passa o tempo tentando descobrir para onde as aves vão quando a noite cai? Pois esse tipo de curiosidade pode fazer de você um observador de aves! Vou logo avisando que bons observadores acordam cedo e têm um binóculo sempre à mão. Quer saber mais sobre esse ofício? Então, faça deste texto seu pequeno manual!

Os melhores horários para observar aves são no começo da manhã e no finalzinho da tarde: é quando elas estão mais ativas. (ilustração: Mario Bag)

Os melhores horários para observar aves são no começo da manhã e no finalzinho da tarde: é quando elas estão mais ativas. (ilustração: Mario Bag)

Só no Brasil existem mais de duas mil espécies de aves.  São mais de vinte tipos de pombas diferentes, quase cinquenta espécies de gaviões e só a família dos beija-flores abrange cerca de oitenta espécies. É muita ave no céu para observar!

Algumas pessoas gostam de observar os pássaros que aparecem nos jardins de suas casas. Outras caminham em praças e parques, à procura de mais espécies. Mas as áreas preservadas, como os parques nacionais, são os lugares onde você vai encontrar maior variedade de aves. Existem observadores de aves que viajam o mundo em busca de espécies raras.

Mas não importa se você está observando um tico-tico no quintal de sua casa, no Brasil, ou um kiwi, ave típica da Nova Zelândia. A essência da observação de aves está em aprender a admirar estas criaturinhas tão belas

Cidade dos pássaros

Para quem nunca praticou, a cidade é um ótimo lugar para começar. Existem muitas espécies de aves que vivem nas praças e nas ruas mais arborizadas. Uma vantagem de observar aves urbanas é que elas estão bastante acostumadas com as pessoas. Muitas vezes você consegue chegar bem pertinho delas, sem precisar usar binóculos.

Tico-tico (foto: Natalia Allenpach)

Tico-tico (foto: Natalia Allenpach)

Dois pássaros muito comuns na cidade, e que as pessoas costumam confundir, são o tico-tico e o pardal.  O tico-tico tem a nuca laranja, e algumas listras pretas na cabeça. O pardal, não. Ah, uma dica: se o pardal tiver uma manchinha preta na garganta (algumas pessoas chamam de “gravata”) quer dizer que ele é macho. Se não tiver, é fêmea. Além disso, a fêmea do pardal também é um pouco mais clara que o macho.

Outro lugar muito legal para procurar aves são os lagos. Nesses lugares, você vai encontrar as que gostam de água, como garças, socozinhos, patos, frangos-d’água, jaçanãs…

Diploma do bom observador

Garça-moura (foto: Natalia Allenpach)

Garça-moura (foto: Natalia Allenpach)

Por mais prazerosa que seja a atividade, identificar aves também é um grande desafio. Só no Brasil são milhares delas. Aliás, Brasil, Peru e Colômbia são os países que abrigam o maior número de espécies de aves do mundo! Observar exige muita atenção e concentração. Para ajudar, vale a pena consultar um guia de campo e usar e abusar de algumas páginas na internet, que trazem informações sobre todas as aves brasileiras.

Aos poucos vai ficando cada vez mais fácil reconhecer as aves que estão ao nosso redor. A variedade de espécies é enorme e elas estão em todos os lugares, nós que não estamos acostumados a reparar. Olhos e ouvidos atentos, basta procurar!

(Esta é uma reedição do texto publicado na CHC 266.)

Matéria publicada em 29.09.2016

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Natalia Allenpach

CONTEÚDO RELACIONADO

Grêmio Recreativo Escola de Samba Turma do Rex apresenta… A história do carnaval!

Rex, Diná e Zíper vão passar o carnaval no Rio de Janeiro e aproveitam para contar a você muitas curiosidades sobre o passado dessa festa!

Quitute natalino

Diná dá a receita de um bolo delicioso para você preparar neste Natal!