Amarelinha e outras linhas

Você deve conhecer a velha e boa “Amarelinha”, mas talvez não saiba que existem maneiras diferentes de pular e rabiscar o desenho no chão. O ponto em comum dos vários jeitos de brincar é pular as casas até chegar ao final do desenho, mas cada região do Brasil inventou uma versão própria do jogo.  Aqui nós listamos três tipos para você se divertir!

Região Sudeste – O caracol

A ideia é fazer a tradicional marcação com números, mas a amarelinha deve ser em forma de caracol. No centro do espiral, desenhe a chegada – ela pode levar o nome “céu”, como é tradicional, mas você pode colocar outro nome se quiser!

(Foto: Jean Marconi / Flickr / <a href=http://creativecommons.org/licenses/by/2.0/deed.pt>CC BY 2.0</a>)

(Foto: Jean Marconi / Flickr / CC BY 2.0)

Desenha as várias casas seguindo a linha do caracol. Quanto mais casas, mais longo o jogo. Cada participante precisa percorrer todo o caminho pulando em um pé só, até chegar no “céu”. Atenção: não vale pisar na linha, apoiar com as mãos, cair ou pisar com os dois pés. Ganha quem conseguir chegar ao céu e voltar sem quebrar as regras.

(Foto: Adaptado de va_vass / Flickr / <a href=http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.0/deed.pt>CC BY-NC-SA 2.0</a>)

(Foto: Adaptado de va_vass / Flickr / CC BY-NC-SA 2.0)

Região Nordeste – Academia

Esta amarelinha tem o formato de dois retângulos grudados, que devem ser divididos, cada um deles, em quatro quadrados, que serão as casas. Na ponta da última casa deve vir uma meia lua com a palavra “céu”.

Numere todas as casas até chegar ao “céu”. O desafio é ir até lá e voltar, pulando todas as casas com algum objeto no peito do pé, sem deixá-lo cair. Ganha quem fizer isso mais rápido!

 

 

Região Sul – Amarelão

(Foto: Roberto Maxwell / Flickr / <a href=http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.0/deed.pt>CC BY-NC-SA 2.0</a>)

(Foto: Roberto Maxwell / Flickr / CC BY-NC-SA 2.0)

O desenho é feito em linha reta, como uma estrada, intercalando uma e duas casas. No início da amarelinha, a palavra “inferno” e, no final, “céu” – essa é a maneira tradicional, mas você pode substituir por partida e chegada; início e final…

O primeiro jogador pula com os dois pés na casa 1. Depois, deve pular para as outras casas na mesma posição em que caiu na primeira. Se pular até a penúltima casa do mesmo jeito, sem errar, pode ir direto para o final do jogo, além de marcar uma das casas com seu nome. Este lugar será somente dele, outros participantes não podem pisar. Ganha quem marcar o nome no maior número de casas.

 

Você sabia que as crianças que viveram na Antiguidade já brincavam de Amarelinha? É verdade! A origem do jogo está na Roma Antiga, onde foi inspirado nos treinamentos militares dos soldados romanos. Naquela época, as crianças imitavam a marcação que eles faziam no chão para treinar e pulavam para lá e pra cá só de brincadeira. Hoje, a amarelinha é conhecida em muitos países. Saiba mais sobre esta e outras brincadeiras no Mapa do Brincar.

Matéria publicada em 31.12.2013

COMENTÁRIOS

Envie um comentário

Padrão do site

Sou o mascote da CHC. Troquei a pré-história pelo mundo virtual para mostrar a você o lado curioso e divertido da ciência.

CONTEÚDO RELACIONADO

Grêmio Recreativo Escola de Samba Turma do Rex apresenta… A história do carnaval!

Rex, Diná e Zíper vão passar o carnaval no Rio de Janeiro e aproveitam para contar a você muitas curiosidades sobre o passado dessa festa!

Open chat